Home > Notícias > Trabalho depois da pandemia: como as empresas estão se adaptando

Trabalho depois da pandemia: como as empresas estão se adaptando

Novo layout para escritórios, horários alternados e menos reuniões presenciais estão entre as medidas
profissional chega ao escritório com máscara na mão

Várias empresas estão tomando medidas para se adaptar à era do trabalho depois da pandemia e receber os empregados com redução de riscos de contágio, agora que regras municipais e estaduais vêm sendo flexibilizadas. 

Veja os resultados da pesquisa realizada pela Robert Half e entenda como essa flexibilização pode ser aplicada pelas empresas.

Como será o trabalho depois da pandemia no escritório

Na era do trabalho depois da pandemia, a principal mudança será a prática de home office com mais frequência. Foi o que 89% dos entrevistados responderam à Robert Half, empresa de recrutamento que realizou uma pesquisa com 353 executivos do Brasil entre maio e junho, para entender quais as principais medidas que as empresas estão tomando neste momento.

Um dado interessante mostrado pela pesquisa é que 62% dos executivos se surpreenderam positivamente com a capacidade de entrega de seus colaboradores e equipes no trabalho remoto durante a pandemia. Apenas 10% notaram alteração negativa e 28% não observaram diferença.

Fernando Mantovani, diretor geral da Robert Half, acredita que as pessoas que atuam em funções elegíveis ao trabalho remoto vão ter mais flexibilidade, principalmente enquanto ainda existir algum risco de contágio.

“Porém, só será possível entender se esse novo modelo de trabalho será realmente incorporado à cultura da companhia quando for possível escolher de maneira livre entre trabalhar remotamente ou não”, diz ele. 

Menos reuniões e horários escalonados no trabalho pós-pandemia

Outros dados apontados pelo estudo são:

  • 85% orientarão os funcionários a usar máscara no escritório;
  • 78% devem estabelecer novos protocolos de limpeza;
  • 73% dos gestores entrevistados têm intenção de fazer menos reuniões e treinamentos presenciais;
  • 59% pretendem escalonar o horário de trabalho dos funcionários e alterar o layout do escritório.

Preocupação com saúde mental dos profissionais 

Outra preocupação dos executivos é em relação à saúde mental e bem-estar dos colaboradores à medida que eles começam a voltar para o escritório. 

Para amenizar possíveis efeitos negativos, as principais iniciativas apontadas são:

  • Uso de videoconferência para permitir que a alta administração transmita empatia e confiança aos funcionários (64%); 
  • Desencorajar ou limitar horas-extras para que os colaboradores possam manter um bom gerenciamento sua vida pessoal-profissional (49%); 
  • Benefícios para a saúde física e mental, como bem-estar no local de trabalho, aulas de yoga, programas de mindfulness e resiliência (48%).

Executivos estreando nas plataformas de comunicação 

A pesquisa ainda mostrou que 65% dos executivos usaram algumas plataformas de comunicação e colaboração para fazer reuniões remotas pela primeira vez durante a pandemia da Covid-19, como Google Meet, Microsoft Teams, Skype e Zoom.

Os principais benefícios apontados pelo uso dessas tecnologias foram: capacidade de trabalhar de forma mais flexível/remota (90%) e melhor comunicação e colaboração entre equipes (54%).

Observando os resultados da pesquisa e as iniciativas das empresas, podemos entender que o ambiente de trabalho não será mais como era antes e, possivelmente, o convívio profissional entre pessoas da mesma empresa também não. Assim como a pandemia, o “novo normal” deve novamente colocar à prova a nossa capacidade de adaptação. E #SeguimosEmFrente.