Home > Carreira > Qualidade de vida > Mulheres são mais impactadas com sobrecarga de trabalho na pandemia

Mulheres são mais impactadas com sobrecarga de trabalho na pandemia

A pandemia está levando mais sobrecarga de trabalho para as mulheres no mundo todo. E isso, claro, pode tornar a vida delas ainda mais difícil, além de acentuar os efeitos da desigualdade de gênero. Quem fez o alerta foi o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), organismo da ONU responsável por questões populacionais.

Mulheres na pandemia: sobrecarga de trabalho é ainda maior 

No Brasil, especialmente, esse alerta sobre a sobrecarga de trabalho faz todo o sentido. Dados de 2019 do IBGE indicam que o trabalho doméstico e, consequentemente, a dupla jornada recaem principalmente sobre as mulheres da família. O levantamento constatou que, em média, as mulheres dedicam 18,5 horas semanais aos afazeres domésticos e cuidados de pessoas como crianças e idosos. A média dos homens praticamente a metade – apenas 10,3 horas semanais gastas nessas atividades. 

Não é difícil entender o que ocorre agora, nesta época de pandemia.  Muitas famílias estão há mais de cem dias isoladas em casa. Ou seja, em termos práticos, isso significa muitas refeições para cozinhar, muita louça para lavar, muitos espaços para limpar. Sem contar que, com o fechamento das escolas, é preciso cuidar dos pequenos em tempo integral, inclusive auxiliando seu aprendizado online, quando é o caso, e descobrindo novas formas de entretê-los. 

Por que a sobrecarga de trabalho é maior para as mulheres

Toda essa carga, infelizmente, recai principalmente sobre as mulheres, que na grande maioria dos casos são as responsáveis pela realização das tarefas domésticas. 

Para completar a conta, muitas delas estão trabalhando em home office. Ou seja, elas têm de lidar com a nova forma de trabalho a distância para ter produtividade mesmo em um ambiente não profissional em que todos os familiares estão convivendo intensamente. Ao mesmo tempo, têm de dar conta de mais responsabilidades e atividades domésticas. 

Desigualdade de gênero fica mais intensa neste momento

Sabemos muito bem que a desigualdade de gênero não é novidade no Brasil. Pelo contrário, ela é história e enraizada na nossa cultura. No entanto, como alerta a UNFPA, a pandemia está claramente intensificando seus efeitos e, possivelmente, ainda vá trazer consequências mais complicadas para as mulheres que forem mais afetadas neste momento.

A mudança, neste caso, precisa começar em casa. Se as tarefas forem mais bem divididas, a rotina vai ficar menos pesada. Vamos lá? 🙂