Home > Carreira > Qualidade de vida > Síndrome do impostor: quais são os impactos na carreira?

Síndrome do impostor: quais são os impactos na carreira?

Entenda o que é esse sentimento que faz tanta gente duvidar da própria capacidade e do mérito que tem pelas suas conquistas
mulher com expressão de angústia

A síndrome do impostor – ou síndrome da impostora – é um conjunto de sentimentos que faz com que muitas pessoas duvidem da sua própria capacidade profissional e sintam-se uma fraude. Essas pessoas não entendem que têm mérito por conseguir uma promoção ou por entregar bons resultados, mesmo quando esses resultados são claros para todos que fazem parte da equipe. 

O que é síndrome do impostor?

A síndrome do impostor ou síndrome da impostora é um conjunto de sentimentos que pode fazer com que você não acredite na sua capacidade de ser eficiente e alcançar bons resultados. 

Esses sentimentos podem até fazer com que você acredite que não merece o cargo que tem ou a promoção que acabou de receber. Em vez de receber o mérito pela sua conquista, quando você sofre dessa síndrome, pode pensar que é apenas uma questão de sorte e que, cedo ou tarde, todo mundo vai perceber que você não tem competência para tudo isso. 

Tudo isso faz com que você questione sua inteligência e sua capacidade o tempo todo, o que cria uma angústia permanente. 

Quais são os impactos da síndrome do impostor na vida pessoal e profissional?

A síndrome do impostor traz impactos negativos tanto para a vida pessoal quanto para a vida profissional. Alguém que esteja sofrendo com isso pode perder oportunidades de crescimento na carreira e também se isolar nas relações pessoais por se sentir inferior e incapaz de manter um relacionamento saudável. 

Perda de prazos por perfeccionismo

Quem tem síndrome do impostor normalmente não consegue lidar com suas próprias conquistas. Quando essa pessoa recebe uma promoção, por exemplo, ela tende a achar que em algum momento a empresa perceberá que cometeu um engano. 

Para evitar que isso aconteça, ela tende não se permitir errar. Em casos mais intensos, ela pode criar uma rotina de checagem e rechecagem de tudo para garantir que todo seu trabalho seja realizado com perfeição, o que inevitavelmente compromete suas entregas e seus prazos.

Perda de produtividade por intolerância aos próprios erros

Como todo mundo erra em algum momento, por mais que uma pessoa tente não errar, isso vai acontecer. A diferença é que, quando alguém com síndrome do impostor erra, a chance de ele aprender alguma coisa com o erro é muito pequena.A pessoa tende a exagerar na autocrítica, o que pode causar um esgotamento total da sua produtividade. 

Estresse e pressão gerando síndrome de burnout 

Toda essa cobrança pode provocar uma outra síndrome, a chamada síndrome de burnout, um tipo de esgotamento profissional que vem de um período prolongado de estresse.

Recusa a promoções e autossabotagem

Outro impacto extremamente negativo de uma pessoa se sentir uma fraude é o adiamento ou até a recusa a uma promoção no trabalho. Essa autossabotagem ocorre porque a pessoa acha que não vai dar conta do cargo e que não tem competência suficiente para ele, ainda que todos acreditem que ela tenha. 

Término precoce de relações pessoais

Na vida pessoal, um efeito comum da síndrome do impostor é a pessoa terminar alguma relação para evitar frustrações. Alguém com essa síndrome tende a achar que é inferior ao parceiro – da mesma forma que se acha uma fraude no trabalho. Essa pessoa também tem dificuldade em aceitar que alguém possa de fato gostar dela. 

Síndrome da impostora: como ela afeta mulheres no trabalho 

O nome mais comum desse conjunto de sentimentos de que estamos tratando é síndrome da impostora, assim mesmo, no feminino. E não é por acaso. Especialistas afirmam que essa síndrome afeta muito mais mulheres do homens no mercado de trabalho. Possivelmente, em consequência da histórica discriminação que as mulheres sofrem nas empresas, com salários mais baixo, menor representatividade em cargos de chefia.  

Vale lembrar que, no Brasil, apenas 7% dos cargos de presidência em empresas são ocupados por mulheres. Além disso, o estudo International Business Report (IBR) – Women in Business 2019, realizado pela Grant Thornton, a proporção de mulheres que ocupam cargos de liderança no país caiu 4% em 2019, totalizando 25% das líderes corporativas.Os dados estão no documento Você Não É Uma Farsa: Entenda Como A Síndrome Da Impostora Afeta Mulheres No Mercado De Trabalho, do IPOG (Instituto de Pós Graduação e Graduação). 

Como identificar a síndrome do impostor?

A síndrome do impostor pode ser identificada por meio de alguns sintomas recorrentes que vão desde aquela sensação de que você não merece uma promoção até a insegurança excessiva em relação a suas competências e habilidades. Confira os principais deles na lista abaixo. 

Você sente que não merece 

Essa sensação de não merecimento pode estar relacionada a uma contratação, uma promoção ou um reconhecimento pelo seu trabalho. Para você, é tudo questão de “sorte”, você sente que não tem mérito algum nisso.

Você se sente uma fraude

Você acredita que só o ocupa a sua função porque ninguém percebeu que você não está preparada para ela. Sente também que essa “fraude” pode ser desmascarada a qualquer momento. 

Você não tolera erros

Você revisa mil vezes tudo o que faz e tenta sempre alcançar a perfeição. Erros não podem acontecer e, quando acontecem, você não consegue superá-los sem doses extras de sofrimento. 

Você tende a procrastinar

Qualquer desafio maior que apareça – uma nova tarefa, uma grande promoção – você tende a adiar, adiar e adiar indefinidamente por não se sentir preparado(a). 

O que fazer para minimizar a síndrome do impostor?

Confira como você pode afastar a síndrome do impostor da sua vida, começando por entender o que você está sentindo e, se necessário, terminando por buscar ajuda profissional. Vamos lá:

  1. Entenda o que você está sentindo;
  2. Identifique o que causa tanta insegurança;
  3. Documente suas conquistas (desde um email com elogios até resultados objetivos que você alcançou em um projeto);
  4. Recorra a esses “documentos” sempre que se sentir incapaz ou incompetente;
  5. Converse com amigos do trabalho em quem você confia que possam falar com sinceridade sobre suas competências e a forma como eles vêem o seu trabalho. 
  6. Não tente resolver tudo sozinha. Se você percebe que esses sentimentos estão de alguma forma emperrando a sua vida, busque ajuda profissional. Terapia ou psicoterapia são boas opções.