Home > Busca de emprego > Currículo > 8 palavras para NÃO usar no currículo

8 palavras para NÃO usar no currículo

Veja como algumas expressões podem prejudicar seu desempenho na primeira etapa do processo seletivo

Geralmente, falamos sobre o que devemos fazer, mas neste post vamos tratar de algumas palavras para não usar no currículo. A explicação é que determinadas expressões podem fazer o recrutador entender mal o que você está tentando dizer, o que cria um “ruído” que muitas vezes atrapalha a evolução no processo seletivo. 

Palavras para nunca usar no currículo

Existem algumas expressões inadequadas para colocar no currículo. Isso pode acontecer quando uma palavra perde o sentido porque fica na moda e é usada excessivamente por todo mundo. Também é o caso de expressões negativas, que prejudicam a imagem do profissional naqueles poucos segundos de atenção do recrutador. Confira algumas dessas palavras que você deve evitar e aproveite para checar se seu currículo está livre delas.

Desempregado

Não use essa expressão porque ela tem um tom negativo. As lacunas do seu currículo já indicam os períodos em que você esteve fora do mercado de trabalho. Não é preciso destacar essa informação. 

Trabalhador 

Não é necessário dizer que você é um profissional trabalhador, que veste a camisa da empresa e se esforça para alcançar bons resultados. O currículo deve ser o suficiente para demonstrar isso. Não pega bem você fazer elogios a você mesmo e nem se “adjetivar” demais, ok? 

Ambicioso

Você pode estar querendo demonstrar que corre atrás do que quer, que tem objetivos maiores de carreira e nem de longe é um profissional acomodado. A palavra “ambicioso”, no entanto, pode dar ao recrutador a impressão de que você faria de tudo para chegar aonde quer – inclusive desrespeitar regras e pessoas. Não vale a pena correr o risco. Simplesmente elimine essa palavra do seu currículo. 

“Ele” ou “ela”

Não fale sobre você como se estivesse falando de outra pessoa. Ou seja, diga “fiz, trabalhei, coordenei, cursei” e não “fez, trabalhou, coordenou, cursou” como se outra pessoa – “ele” ou “ela” – tivesse feito o que você fez. 

Expert

Se você é um expert em algum assunto, deixe isso claro no currículo sem utilizar a expressão para não parecer arrogante. Se você tem uma especialização em determinada área, se atuou anos em certo segmento, são essas as informações que devem ir para o seu currículo. O recrutador é quem deve concluir que você é um expert.

Mentiras

Nunca aumente seu nível de conhecimento, sua experiência ou qualquer outra informação. Mais que isso – jamais conte uma mentira no currículo. Os recrutadores são treinados para perceber esse tipo de coisa e, ainda que você consiga passar pela triagem de currículos contando uma mentira, dificilmente terá a mesma sorte durante a entrevista de emprego. Não vale a pena arriscar as suas chances e correr o risco de queimar seu filme definitivamente com a empresa. 

Foco em resultados

É verdade que as empresas buscam profissionais com foco em resultados, mas você não se transforma nesse tipo de profissional simplesmente por dizer que você tem essa característica do currículo. Mais uma vez, o melhor é demonstrar seus resultados – incluindo dados e métricas, sempre que possível – e deixar o recrutador chegar à conclusão de que você é o profissional que ele procura. 

Curso de datilografia 

Datilografia é apenas um exemplo do tipo de informação que pode deixar o seu currículo ultrapassado. Preste atenção nos cursos que você já fez para ver quais são relevantes para o mercado de trabalho de hoje. Não tenha “pena” de tirar cursos muito antigos que não seja relevantes atualmente. Se não fizer isso, você pode passar a impressão de não acompanhar as transformações do mercado e – o que é pior – não se preparar para elas. Se precisar de outros cursos para rechear o currículo, confira nosso post O que fazer na quarentena: cursos online gratuitos.

Cadastre seu currículo no VAGAS.com.br e aproveite inúmeras oportunidades de emprego. Se você já tem um cadastro, atualize-o aqui.