Home > Notícias > O que fazer com o 13º salário?

O que fazer com o 13º salário?

Saiba como evitar a ressaca financeira após o período de festas de fim de ano

Uma das grandes alegrias do fim do ano é ver a conta bancária engordar com o 13º salário. No entanto, antes de sair gastando o dinheiro extra sem pensar em mais nada, os economistas alertam que é necessário fazer as contas para evitar a ressaca financeira depois do período de festas de fim de ano. Não custa lembrar que janeiro é mês de gastos adicionais com IPVA, para quem tem carro, e material escolar e uniforme, para quem tem filhos. 

Como usar o 13º salário?

O pagamento do 13° é muito bem-vindo, mas é preciso ficar atento para não gastar tudo e começar o próximo ano carregando problemas financeiros. Confira algumas prioridades que você pode estabelecer para esse dinheiro. 

Quite suas dívidas

A primeira coisa que você deve pensar em fazer quando receber o 13° salário é pagar dívidas. Calcule quanto você deve e quanto poderia poupar em juros ao pagar todas as dívidas de uma vez só. Converse com o seu banco e veja o que pode conseguir. Se a dívida for de cartão de crédito, vale a pena conversar com a operadora também. 

O ideal é começar o próximo ano sem dívidas, mas, se não for possível, priorize aquelas que têm juros mais altos e que oferecem mais vantagens para o pagamento integral. 

Poupe para o ano seguinte

Antes de gastar o dinheiro, é importante também fazer uma lista do que deve ser pago nos primeiros três meses do ano para não começar 2021 no vermelho. Considere impostos anuais, compra de material escolar, entre outros gastos típicos dessa época do ano. 

Viaje

Pagou dívidas e sobrou dinheiro? Pense em viajar – considerando as recomendações para este momento de pandemia que vivemos. Mesmo uma pequena viagem para um lugar mais isolado pode ser um ótimo investimento para sua saúde. Descansar corpo e mente ajuda a recarregar a bateria para os próximos desafios que estão chegando. 

Separe uma parte para consumo casual

Você trabalhou o ano todo e, com certeza, também merece usar uma parte do dinheiro para pequenas compras casuais. Vale a pena reservar uma parte do 13° para esse tipo de cuidado com você mesmo. Caprichar na ceia de Natal, por exemplo, é um exemplo. 

Crie ou aumente sua reserva de emergência

Se você não tem uma reserva de emergência pode também aproveitar para criar uma. É sempre interessante ter um dinheiro guardado para emergências e também para garantir que você consiga pagar as contas por um tempo se o seu rendimento cair por qualquer motivo. 

Se você já tiver uma reserva, a dica é aproveitar parte do 13° para engordá-la. 

Invista

Se você preferir gastar menos e guardar mais, a dica é investir o 13°. Para escolher uma modalidade de investimento, analise a rentabilidade do dinheiro. Os mais conservadores costumam optar por fundos de renda fixa ou a boa e velha caderneta de poupança.

Onde investir o 13º salário?

De acordo com o economista Mauro Calil, especialista em investimentos, a caderneta de poupança, apesar de ter benefícios como isenção de impostos, não é o melhor tipo de investimento para o 13° salário porque apresenta ganhos baixos. “Se a pessoa não conhece nada em termos de investimentos além da caderneta de poupança, tudo bem, pode aplicar nela. Mas não é a melhor maneira de investir”, alerta o economista.

Fundos e Letras do Tesouro, por exemplo, ele afirma que têm a mesma segurança da poupança, além de alguns serem também isentos de impostos. “No caso, é preciso ficar de olho na taxa de administração cobrada pelo banco”, recomenda o especialista. 

BÔNUS: O que NÃO fazer com o 13º salário?

Agora que já listamos o que você pode fazer com o décimo terceiro, é hora de dizer o que você não deve fazer com ele. A resposta é uma só: contrair novas dívidas.

É muito comum que, no final do ano, as pessoas tenham mais vontade de fazer compras e dar presentes para todo mundo. No entanto, é preciso pensar muito antes de assumir outras dívidas, especialmente as parceladas, que rapidamente podem sair do controle e colocar sua conta no vermelho. 

Vale ressaltar também que quando a conta entra no vermelho ou quando você não consegue quitar a fatura do cartão de crédito, você paga juros altos por isso. Se isso acontecer por meses seguidos, é possível que os juros fiquem até mais caros do que a compra que você parcelou. Consuma com consciência, ok? 

Cadastre seu currículo no VAGAS.com.br e aproveite inúmeras oportunidades de emprego. Se você já tem um cadastro, atualize-o aqui.