Home > Carreira > Qualidade de vida > Home office com filhos: como facilitar essa combinação

Home office com filhos: como facilitar essa combinação

Você pode, sim, trabalhar em casa e ser produtivo organizando a rotina e estabelecendo algumas regras

Home office com filhos pode ser uma mistura explosiva principalmente quando não temos opção. Eles não podem ir a escola, nós não podemos ir ao escritório.

Essa é a realidade de milhares de casas de todo o país durante essa pandemia, mas não precisamos nos desesperar por isso. Com um pouco de organização e resiliência, vai dar tudo certo. 

Como organizar o home office com filhos

Trabalhar com os filhos em casa é um desafio até para quem está acostumado a fazer home office. São milhares de interrupções e preocupações por segundo que podem tornar o ambiente um verdadeiro caos.

Para que isso não aconteça na sua casa, temos uma série de dicas para criar regras e organizar a bagunça, antes que você desista de ser produtivo ou produtiva durante a pandemia. Quer ver? 

Explique a situação às crianças

A primeira coisa a fazer para que o home office com crianças funcione é ter uma conversa séria com os pequenos. A dica vale principalmente para quem tem filhos com mais de cinco ou seis anos.

A capacidade de compreensão varia de criança para criança, mas a partir dessa idade normalmente elas são capazes de entender que os pais precisam de espaço e tempo para trabalhar. 

Combine uma sinalização

Se você costuma fazer reuniões online ou precisa de foco intenso em determinados horários, uma boa ideia é combinar um “sinal” para a criança saber que não pode interromper naquele momento. O sinal pode ser uma porta fechada, o uso de fones de ouvido ou mesmo uma placa de “não interrompa”.

Vale explicar, claro, que se for uma emergência o “sinal” pode ser desrespeitado. Sim, também será preciso combinar o que pode ser considerado uma emergência. 

Leia também: Dicas para ser produtivo no home office

Mantenha horários e rotina no home office com filhos

Uma dica muito repetida por psicólogos e pedagogos é criar uma nova rotina para a casa. Ok, ninguém vai sair para a escola, para o escritório ou para a natação, mas é importante estabelecer e cumprir horários para acordar, para comer, para ver tv e também para usar aparelhos eletrônicos em geral.

Claro que nesta situação os limites podem ter alguma tolerância maior, mas ainda assim eles precisam existir para que as crianças se sintam seguras e não entrem no mesmo estresse a que nós, adultos, estamos nos submetendo. 

Veja algumas dicas para conseguir estabelecer essa nova rotina:

Dê autonomia para as atividades online da escola

Este tópico obviamente só vale para quem tem filhos maiores – e aqui “maiores” significa mais de oito ou nove anos, provavelmente. Se a criança tiver atividades online propostas pela escola, a ideia é que ela tenha autonomia para acessar as aulas ou as lições sozinha. Vale muito a pena investir um tempo para explicar como ela deve fazer isso. 

Se a criança ainda não conseguir fazer tudo sozinha, uma dica é você mesmo entrar na lista de tarefas e imprimir todos os dias o que ela deve realizar. É mais simples do que acompanhar o acesso dela a cada lição do Google Classroom, por exemplo. 

Aproveite o horário das atividades escolares

Se as crianças da casa já estiverem adaptadas às atividades online da escola, você pode conseguir bons momentos de trabalho sem interrupção nesse período. Concentre-se para produzir o máximo possível enquanto elas estão estudando. 

Obviamente a dica não vale para quem tem filhos menores que precisam de auxílio ou que ainda não estão totalmente adaptados à nova rotina. Nesse caso, vale exatamente o contrário – é melhor não contar com sua produtividade nesse período.

Se for possível, o ideal é concentrar reuniões e foco maior no trabalho em outro período do dia. 

Reserve um horário para brincadeira ou jogos

Em geral, as crianças estão surpreendendo os pais com sua capacidade de adaptação e resiliência neste momento. Ainda assim, é importante que elas sintam que podem contar com os pais para brincar e fazer algumas atividades juntos.

Inclua brincadeiras ou jogos na rotina, por exemplo. Se preferir, convide o pequeno ou a pequena para ajudar na cozinha. Ele vai se divertir e a tarefa pode ficar mais divertida para você também. Acredite: brincar, rir e abraçar as crianças vai aliviar seu estresse. 

Além disso, quando as crianças sabem que você terá um tempo reservado para elas, tendem a ficar menos ansiosas e fazer menos interrupções quando você precisa se concentrar no trabalho.

Home office com filhos pequenos

Sem dúvida alguma o trabalho remoto é muito mais complexo para quem tem filhos pequenos. Se este é o seu caso, veja algumas sugestões específicas:

  • Aproveite para trabalhar enquanto eles dormem, principalmente durante o dia, já que à noite você também deve dormir (lembra quando eles eram recém-nascidos? É a mesma regra…);
  • Acorde mais cedo e considere ser produtivo antes de eles saírem da cama;
  • Compartilhe a supervisão dos pequenos. Os pais podem trabalhar em horários alternados em casa – desde que os dois morem juntos, claro. Irmãos mais velhos também podem entrar no rodízio e ajudar a entreter ou supervisionar os mais novos.  

Não se cobre demais

É muito comum que estejamos todos sobrecarregados e nos cobrando demais, sem saber se estamos mesmo fazendo tudo o que poderíamos pelo trabalho, pelos filhos, pela casa.

Todos nós precisamos nos adaptar. Muita coisa vai dar errado – a internet vai cair, o computador vai travar e, se chover demais, é capaz de faltar eletricidade. E tudo bem. Tudo bem inclusive se às vezes você precisar parar, fechar a porta do quarto (ou do banheiro) e apenas respirar para recuperar a calma. Acontece e, acredite, a tendência é melhorar.

A gente vai se adaptando e descobrindo o melhor horário para ser produtivo, para marcar reuniões, para responder emails. Cozinhar vai ficando mais fácil e as crianças também vão entrando no esquema da casa. E, vale lembrar, vai passar. E ainda sairemos mais fortes disso tudo. Como família, inclusive. 🙂

Gostou do artigo? Você também pode se interessar por Home office e coronavírus: como lidar?