Home > Dicas > Licença-maternidade: não deixe virar um parto

Licença-maternidade: não deixe virar um parto

Veja como organizar e facilitar a sua volta ao trabalho

O fim da licença-maternidade é o pesadelo de muitas mães que não sabem como se afastar do bebê para retomar a carreira. O momento, no entanto, pode ser bem menos assustador para quem consegue se programar com antencedência e ir, aos poucos, tomando as melhores decisões tanto para seu bebê quanto para sua vida profissional. Veja algumas dicas para fazer isso acontecer da melhor forma possível.

Como organizar a volta da licença-maternidade

  1. Conheça os benefícios da empresa 

    Para começar, é muito importante, durante a gravidez ou antes mesmo de você engravidar, pesquisar os benefícios que a sua empresa oferece para mulheres na mesma situação que você. Segundo o consultor Bruno Mendonça, o estudo do Great Place to Work referente à lista das Melhores Empresas para Trabalhar – Brasil 2013 mostrou que 35% das empresas premiadas oferecem licença-maternidade acima do tempo estipulado por lei, contra 19% do universo de empresas não premiadas.

  2. Aproveite o auxílio-creche

    Ainda segundo Mendonça, um número significativo de companhias oferece ainda auxílio-creche para os bebês das funcionárias ou um horário diferenciado de trabalho. “De forma geral, as empresas facilitam bastante a vida das mulheres que passam por esse período com práticas que proporcionam um equilíbrio entre a vida profissional e a pessoal”, diz ele. Se você estiver numa empresa assim, não tenha receio de aproveitar o que é oferecido.

  3. Converse com o gestor

    Por outro lado, se a sua empresa não tem uma política de benefícios tão completa, você pode conversar com seu gestor e também com colegas que já passaram por isso para entender como as coisas funcionam na prática. É interessante saber, por exemplo, como a empresa vê a necessidade de a mãe se ausentar quando o bebê precisa dela ou quando está na hora de pegá-lo na creche. Quanto mais informação você tiver, mais condições você terá de tomar decisões melhores.

  4. Defina onde o bebê vai ficar

    Com algumas dessas informações em mãos, comece a pensar seriamente onde seu bebê vai ficar quando você tiver de voltar a trabalhar. Toda a preparação para retomar a sua carreira depende dessa decisão. Portanto, quanto mais cedo você souber se seu filho deve ficar num berçário, com alguém da família ou com uma babá, melhor.

  5. Pesquise berçários durante a gravidez

    Se você estiver considerando a ideia de deixar o bebê no berçário, uma ideia interessante é começar a pesquisar e visitar escolas ainda durante a gravidez. Pode parecer bobagem, mas, depois que o bebê nascer e às vésperas de você voltar ao trabalho, você poderá estar emocionalmente abalada demais para prestar atenção a detalhes e também para ver qualquer coisa positiva durante as visitas. Portanto, vale a pena começar a pesquisa o quanto antes, selecionar as escolas que parecem interessantes e viáveis financeiramente e ir visitando uma a uma aos poucos.

  6. Cuide da adaptação com antecedência

    Outra estratégia bacana para voltar ao trabalho com mais tranquilidade é cuidar da adaptação (sua e do bebê) ainda durante a licença. Se ele vai ficar com uma babá ou algum parente, por exemplo, procure ir se afastando aos poucos, até perceber que tudo vai dar certo na hora H. A dica é a mesma para a adaptação ao berçário, que normalmente ocorre com o aumento gradual do tempo de permanência do bebê (e ausência da mãe) durante uma ou duas semanas. Por fim, respire fundo e acredite que vai tudo certo.

Cadastre seu currículo no VAGAS.com.br e aproveite inúmeras oportunidades de emprego. Se você já tem um cadastro, atualize-o aqui.