Home > Dicas > Falta de retorno: o que fazer quando nada acontece

Falta de retorno: o que fazer quando nada acontece

Aprenda a sobreviver à falta de feedback nos processos seletivos

por João Xavier*

Enviar um currículo e ficar no aguardo do contato do recrutador pode ser muito angustiante. Essa falta de retorno deixa o candidato “perdido”, sem saber se ainda tem chances ou se já foi reprovado. É como jogar na loteria sem poder conferir os números. Se você está se sentindo assim, tenho algumas dicas para sobreviver a essa espera sem desperdiçar seu tempo e suas esperanças. Quer ver?

Como lidar com a falta de retorno das empresas

1. Leia atentamente as comunicações que receber

Se você receber uma mensagem do tipo: Obrigado por participar do nosso processo seletivo para a posição ‘x’. Avaliaremos o seu currículo e caso este esteja de acordo com o perfil que buscamos, entraremos em contatodeve entender que seu currículo foi devidamente entregue e que a regra do jogo está devidamente esclarecida. Em outras palavras, a empresa quer dizer: “Só entraremos em contato caso aprovemos o seu currículo”.

Como normalmente o volume de currículos recebido é imenso, foi essa a regra que ficou instituída pelas empresas, dar feedback apenas para os profissionais aprovados nessa primeira fase de triagem. Não é o ideal, mas é o que ocorre na maioria dos casos.

2. Estipule um limite de tempo

Se você convive com a espera por um feedback já deve saber que, conforme o tempo vai passando, a chance de você ser chamado vai diminuindo. Portanto, é preciso determinar um limite para alimentar suas esperanças.

Um tempo razoável para avaliação dos currículos em um processo seletivo é de três dias a uma semana após o anúncio da vaga. Às vezes esse prazo pode se estender. Em tempos de incertezas econômicas, por exemplo, a vaga pode ser congelada ou suspensa por semanas.

Portanto, a recomendação é checar a data de publicação do anúncio e manter altas expectativas nos primeiros 15 dias de veiculação, expectativas moderadas no primeiro mês e baixas ou nulas após este período. Se, depois desse prazo, você se surpreender com um contato do recrutador, melhor para você.

3. Preste atenção à vaga antes de se candidatar

Este ponto precisa ser observado atentamente para que você não perca tempo se candidatando a vagas que não têm aderência ao seu perfil. Eu recomendo ler com muita atenção o que é pedido no anúncio e só se candidatar se realmente puder atender a todos os requisitos citados. Não tente forçar a barra! Se a vaga pede inglês fluente e seu inglês for avançado, possivelmente você nem passará pela triagem de currículos.

Se ela exige vivência no setor de serviços, não envie o currículo caso nunca tenha atuado nessa área. Deixar de se aplicar a vagas que são pouco aderentes a seu perfil pode facilitar a vida de muita gente, inclusive a sua, ao empenhar menos energia em processos que nada têm a ver com você. Pense nisso e evite a falta de retorno.

4. Não aposte todas as suas fichas em uma vaga

Mesmo que você aparentemente tenha encontrado a vaga dos seus sonhos e tenha se candidatado a ela, não pode ficar parado esperando tudo dar certo. É preciso continuar se aplicando a todas as vagas que estejam alinhadas ao seu perfil e a seus objetivos profissionais.   

5. Esteja acessível para o contato

Pode parecer muito básico, mas nunca é demais lembrar a importância de colocar telefone e e-mail acessíveis no currículo. Se esses dados estiverem corretos, fique tranquilo que, se o recrutador quiser, ele vai conseguir fazer contato. Por fim, respire fundo e boa sorte!

 

Cadastre seu currículo no VAGAS.com.br e aproveite inúmeras oportunidades de emprego. Se você já tem um cadastro, atualize-o aqui.

 

*João Xavier é diretor-geral da empresa de recrutamento Ricardo Xavier.