Home > Dicas > 13 dicas para sua primeira entrevista de emprego

13 dicas para sua primeira entrevista de emprego

Saiba o que você precisa fazer antes, durante e depois da sua primeira conversa com um recrutador

Enfrentar a primeira entrevista de emprego é uma ideia bastante assustadora para quem precisa entrar no mercado de trabalho.

Insegurança, medo e ansiedade podem se misturar nessa hora.

Para ajudar que está passando por esse momento, pedimos algumas ideias para Fernanda Thees, sócia-diretora da Loite, empresa de orientação de jovens para carreira e processos seletivos.

Confira suas sugestões e saiba o que você deve fazer antes, durante e depois da entrevista de emprego.

Como se preparar para sua primeira entrevista de emprego

Antes da entrevista

1 – Treine, treine, treine

É muito comum que quem está em busca do primeiro emprego se candidate a toda e qualquer vaga que aparece pela frente.

Segundo a especialista, a estratégia não é ruim. “Processo seletivo é igual prova, quanto mais você faz, melhor você fica”, afirma Fernanda.

Ou seja, você pode – e deve – se candidatar. Desde que, quando for chamado para uma entrevista, não desperdice a chance de impressionar positivamente o seu potencial empregador.

2 – Estude a vaga, a empresa, o entrevistador

Para causar uma boa impressão na hora da entrevista, é essencial que você saiba muito bem quem é a empresa contratante e qual é a vaga que está em jogo (desde que esses dados não sejam sigilosos, é claro).

É importante buscar informações sobre a empresa, saber o que ela faz, onde atua, se é uma empresa nacional ou multinacional, onde fica sua sede etc.

Se você souber o nome do entrevistador, também pesquise o que puder sobre ele. É interessante saber, por exemplo, se ele é de uma empresa de recrutamento terceirizada ou se é da própria empresa contratante. Se é alguém do RH ou seu potencial chefe.

Tudo isso ajuda a direcionar suas respostas e dar o tom certo para a conversa.

3 – Saiba contar a sua história

É muito provável que em algum momento da entrevista o entrevistador peça que você fale sobre você.

Ainda que esse pedido possa vir de várias formas além do direto “fale-me sobre você”, a melhor estratégia é preparar a resposta com antecedência.

“O entrevistador pode pedir para você fazer uma analogia entre você e um produto ou escolher uma foto de alguém e dizer o que você tem em comum com aquela pessoa”, explica Fernanda.

A dica, ainda que você não saiba como exatamente essa pergunta vai ser feita, é deixar uma apresentação preparada, de dois ou três minutos, no máximo.

A ideia não é repetir seu currículo, que o recrutador já leu e gostou e, por isso, chamou você para conversar.

“O conselho é contar uma história, o que aconteceu de mais importante na sua vida, o que o levou a tomar as decisões que você tomou”, explica ela.

Por exemplo:

Eu sou de Sorocaba, de uma família de três irmãos, e vim para São Paulo estudar. Meu pai era engenheiro e eu sempre quis ser como ele, por isso escolhi o curso e vim morar sozinho. Na faculdade, eu não gostei tanto do primeiro ano, pensei em desistir, mas comecei a me interessar muito pela empresa júnior e isso me fez continuar. Ainda bem, porque foi a melhor decisão que eu tomei…

Lembre-se: as pessoas se lembram de histórias, não de fatos. Ou seja, no final do dia, depois de entrevistar dezenas de candidatos, o recrutador vai lembrar dos que contaram histórias e não dos que relataram fatos em ordem cronológica.

4 – Selecione situações que demonstrem suas competências

Antes de ir para a entrevista, é importante refrescar a memória com exemplos de situações que demonstrem que você tem determinadas competências.

Isso porque a entrevista por competências ou entrevista comportamental é bastante comum na maior parte dos processos seletivos.

Se o entrevistador pedir para você contar uma situação em que teve um conflito com algum colega, em que precisou trabalhar sobre pressão ou que teve de lidar com erros, pode saber que ele está conduzindo uma conversa desse tipo.

A dica, então, é deixar frescas na memória quatro a seis situações marcantes que você tenha passado na vida.

É difícil prever o que o entrevistador vai perguntar, mas esse exercício ajuda a encontrar rapidamente os melhores exemplos durante a conversa.

“A ideia é, antes da entrevista, reviver essas situações, pensar o que aconteceu, como você agiu, o que fez para a situação se desenrolar e que tipo de competências você desenvolveu ali”, alerta Fernanda. A ideia é dar exemplos de situações em que você tenha tipo uma participação ativa.

5 – Treine, grave, filme

Outra dica valiosa é treinar para essa conversa. E isso significa, sim, avaliar como você está se saindo, que tom de voz está usando etc. Como faz isso? Gravando suas respostas ou – se você não for tímido demais para isso – até filmando uma simulação para saber como você seria visto pela outra pessoa.

Uma alternativa válida é treinar com um colega e trocar impressões com ele. Se for alguém que já passou por alguns processos seletivos, então, melhor ainda.

Durante a entrevista

6 – Respire fundo (literalmente)

Na hora da entrevista, é preciso manter o equilíbrio para não ficar agitado demais e nem apático ao extremo.

Uma dica bem simples para manter o equilíbrio é respirar fundo – literalmente mesmo. “Respirar fundo ajuda a reestabelecer o funcionamento do hipocampo cerebral, responsável pela memória”, alerta a especialista.

7 – Mantenha a atenção no momento presente

Preste atenção no que está acontecendo. Mesmo que você não tenha certeza se respondeu bem a questão anterior, ouça o que o entrevistador está perguntando naquele determinado momento.

8 – Cuide da linguagem corporal

Cumprimente o entrevistador com um aperto de mão firme. Durante a entrevista, mantenha contato visual, observe seu tom de voz. “É muito comum que as pessoas, quando estão nervosas, não variem o tom da

9 – Se não entender, pergunte

Se você entender o que o entrevistador perguntou, peça para ele repetir. É melhor interromper e dizer que não entendeu do que sair respondendo qualquer coisa que ele não precisa ouvir.

10 – Pare para pensar, se for preciso

Se você não estiver com a resposta na ponta da língua, tudo bem também. Você pode parar alguns segundos para pensar e formular sua resposta.

11 – Faça alguma pergunta ao entrevistador

No final da conversa, é sempre interessante ter alguma coisa para perguntar. “Não é obrigatório, mas cai muito bem”, avalia Fernanda.

Você pode perguntar sobre a vaga ou sobre a empresa – apenas tome o cuidado de não fazer uma pergunta tão básica que possa ser respondida com uma busca simples no Google.

“Perguntar demonstra que você tem proatividade, interesse e curiosidade pela vaga”, afirma a especialista.

Um alerta: NÃO é hora de perguntar sobre salário.

Depois da entrevista

12 – Mande um email de agradecimento

Manda um e-mail agradecendo a conversa, curto e direto, vai muito bem depois da entrevista.

13 – Busque retorno, se for preciso

No final da entrevista, é comum que o recrutador diga quanto tempo você deve esperar para ter retorno. Se esse prazo for de e for uma vaga que vd está interessada e quer esmo – dia 20 e já é 25 ou 2 ou 30 dias, por exemplo, e depois de 40 dias você não receber nada, você pode dar uma ligada para saber se o processo está caminhando.

“Muitas empresas vão dizer que ele está atrasado”, diz Fernanda. “Outras só vão dizer que você não foi selecionado.” A falta de retorno, infelizmente, ocorre em muitos processos seletivos. Se isso acontecer alguma vez com você, saiba que o erro não foi seu. Bola para frente, lembre-se de que quanto mais você treinar, melhor vai se sair. Boa sorte” 😉

Cadastre seu currículo no VAGAS.com.br e aproveite inúmeras oportunidades de emprego. Se você já tem um cadastro, atualize-o aqui.