Home > Busca de emprego > Currículo > Currículo em inglês: veja como criar o seu e destaque-se

Currículo em inglês: veja como criar o seu e destaque-se

Nunca se sabe quando poderá surgir uma oportunidade no Brasil ou no exterior

Ter um currículo em inglês pronto é importante para quem quer aproveitar uma oportunidade no momento em que ela surge. É também a melhor forma de criar esse documento com todo o cuidado para mostrar todo seu potencial – e conhecimento do idioma – ao recrutador. Quer fazer (ou melhorar) o seu? Vamos lá! 

Por que você precisa fazer um currículo em inglês

É sempre importante ter o seu currículo em inglês atualizado, mesmo que não esteja buscando colocação. Nunca se sabe quando poderá surgir uma oportunidade no Brasil ou no exterior. Estar preparado já dirá muito sobre você, porque talvez o fator tempo seja determinante. Você poderá até ser perfeito para a vaga, mas se seu currículo não for, correrá o alto risco de perdê-la. A primeira triagem é a seleção pelo currículo e você não estará diante do recrutador para se explicar.

Como fazer currículo em inglês

Se você é jovem e tem pouca experiência profissional, o ideal é colocar a formação acadêmica logo no começo do currículo. Ao invés de colocar o resumo das qualificações, destaque os seus maiores atrativos para a vaga, sem mentiras ou exageros. Outras informações devem ser apresentadas em ordem cronológica decrescente, ou seja, do mais recente para o mais antigo.

Procure seguir o formato mais corporativo, não ultrapassando duas folhas e usando fontes mais comuns, como Arial ou Times New Roman, com tamanho mínimo 10. Abaixo os itens a serem abordados.

Personal information (dados pessoais)

Neste campo, você também pode usar os termos “Personal Details” ou “Personal profile”. 

A dica é incluir apenas o essencial:

  • Full name (nome completo)
  • Address (endereço)
  • Phone (telefone)
  • Mobile (celular) 
  • E-mail
  • Objective (objetivo)
  • Nesta área, seja direto e objetivo. Candidatos que sabem o que estão buscando são os preferidos de recrutadores e headhunters. Se tiver dúvidas, consulte nosso post O que escrever no objetivo do currículo

Atenção: não há necessidade de informar estado civil, religião, filiação ou documentos. 

Academic/ Educational background (formação educacional/ acadêmica)

Aqui, você também pode utilizar os termos “Qualifications summary”, “Areas of Expertise” ou “Educational Background”.

A ideia aqui é informar que curso de graduação você fez, em que instituição e qual foi o ano de conclusão. 

Vale a pena ficar atento às principais siglas:

  • Graduado (bacharel) – B.A. ou B.S.
  • Mestrado – Msc
  • Doutorado – PhD

Professional background (experiência profissional)

Alternativas para descrever este item são “Professional experience”, “Work experience”, “Positions held” e “Employment history”.

Aqui, você deve inserir o nome da empresa, o período de contratação, o cargo em ordem cronológica decrescente e as atividades executadas.

Uma dica é utilizar o termo “Major accomplishments” para mencionar as realizações que o destacam dos outros candidatos. Neste caso, não é necessário fazer frases começando com o pronome pessoal “I”. Seja preciso nas informações, destacando resultados obtidos.

Lembre que os meses devem vir abreviados. Utilize Jan, Feb, Mar, Apr, May, Jun, Jul, Aug, Sep, Oct, Nov e Dec.

Outras abreviações importantes: RH – HR (Human Resources); ONG – NGO (Non-Governmental Organization) e SAC – Call Center.

Languages and computer skills (idiomas e computação)

Este campo também pode ser chamado de “Languages or Key Skills”.  

Aqui, vale lembrar que o nível de domínio do idioma é definido pelos termos fluent (fluente), advanced (avançado), intermediate (intermediário) e basic (básico). Seja honesto porque, se o idioma for fundamental para a vaga, você terá de fazer teste escrito e entrevista no idioma.

Para dizer que você tem conhecimento do Office, o melhor é “Proficient user of MS Office”.

Extracurricular activities (cursos extracurriculares)

Informe apenas o que tiver relevância para a vaga desejada, indicando mês e ano. Poucos itens.

Others (outros)

Aqui, novamente, vale a pena relembrar algumas expressões:

  • Certificações e Licenças – Certification and Licences
  • Publicações – Publications (livros ou artigos)
  • Participação em grupos ou organizações profissionais – affiliations

Como melhorar seu currículo em inglês

Agora que você já sabe como esquematizar seu currículo, confira algumas dicas valiosas para aprimorar o texto no idioma e deixar o documento sempre atualizado para o caso de alguma empresa chamar você para aquele emprego tão sonhado.

1. Não use tradutor online ou automático

Não use software de tradução automática para fazer seu currículo em inglês. Se o seu inglês for básico, peça ajuda para algum conhecido que domine o idioma ou, melhor ainda, contrate um tradutor profissional. Se você tiver um nível avançado até pode utilizar o tradutor para checar algumas expressões – só não vale confiar 100% no resultado, ok? Cheque várias fontes. O Linguee é boa alternativa por trazer exemplos de textos com os termos pesquisados. 

2. Não traduza ao pé da letra 

Sem querer, ao tentar traduzir alguns termos ao pé da letra, você pode cometer o erro básico de dizer “management top” quando quer falar sobre “alta gerência”. Lembre-se de que, em inglês, o departamento é sempre seguido pelo cargo – e não o contrário. Os exemplos corretos são “top management” (para alta gerência), accounting posting (“lançamento contábil”) e payroll (“folha de pagamento”). 

3. Use a ordem direta no currículo em inglês

A inversão das palavras em uma frase, o que é comum e até esteticamente melhor em português, é rara no inglês. Prefira a objetividade e a simplicidade na construção das frases no seu currículo em inglês. A recomendação vale para o seu CV e para qualquer comunicação profissional.

4. Cuidado com a ortografia

Não confie cegamente no corretor ortográfico porque há palavras com grafia parecida em inglês. Um erro de digitação pode demonstrar falta de atenção e desleixo. Se você não tiver 100% de certeza quanto à ortografia de uma palavra, consulte um dos muitos dicionários online. O currículo é a primeira impressão, o seu cartão de visita para o mercado de trabalho.

5. Como usar números em inglês

Em inglês, os sinais usados para separar as casas decimais são diferentes do português. Na verdade, é invertido, pois a vírgula em português vira ponto em inglês e o ponto, vírgula.

6. Simple Past X Present Perfect

A grande atenção ao redigir um currículo em inglês é no uso do Simple Past e do Present Perfect. 

Lembre-se de que devemos usar o Simple Past para descrever as atividades concluídas, com a definição de tempo explícita ou implícita. O Simple Past deve ser usado para descrever todos os cursos concluídos e os cargos anteriores. 

Para descrever seu cargo atual ou, eventualmente, cursos e projetos ainda em andamento, opte pelo Present Perfect.

7. Escolha bem os verbos

Escolha verbos de ação que passam a imagem de realização, de que você tem iniciativa, por exemplo: solve, manage, carry out, accomplish, initiate, start, design, structure, decide. Exemplos de verbos passivos são: to be (am, are, was, were) e have.

8. Palavras e expressões comuns

Para completar, aqui vai uma lista de palavras e expressões frequentes em currículos em inglês:

  • Aluno de graduação: undergraduate student;
  • Aluno de pós-graduação: graduate student;
  • Cargo: position;
  • Candidato: applicant;
  • Carreira: career;
  • Carta de apresentação: cover letter;
  • Competências: competences;
  • Conhecimento de: knowledge of;
  • Estágio: internship;
  • Habilidades: skills;
  • Pontos fortes: strengths;
  • Ser responsável por: to be responsible for, to be in charge of.

Cadastre seu currículo no VAGAS.com.br e aproveite inúmeras oportunidades de emprego. Se você já tem um cadastro, atualize-o aqui. 

Lígia Velozo Crispino, autora do post, [e fundadora e sócia-diretora da Companhia de Idiomas. Graduada em Letras e Tradução pela Unibero. Curso de Business English em Boston pela ELC e extensões na área de Marketing na ESPM, FGV e Insper. Coautora do Guia de Implantação de Programas de Idiomas em empresas e autora do livro de poemas Fora da Linha. Colunista do portal Exame e Vagas Profissões. Mobilizadora cultural à frente do Sarau Conversar na Livraria Martins Fontes.