Home > Busca de emprego > Currículo > Como saber se seu currículo está bem escrito

Como saber se seu currículo está bem escrito

Confira um roteiro para checar se todos os campos estão preenchidos da melhor forma para entregar o que o recrutador está buscando

Um currículo bem escrito facilita o entendimento do recrutador e também a busca feita por robôs nas primeiras etapas de triagem de candidatos.

Para ajudar você a verificar como está o entendimento de cada campo do formulário de currículo da VAGAS.com, criamos um pequeno roteiro para checagem.

Abra o seu currículo, confira se cada tópico está de fato respondendo o que o recrutador precisa saber e aproveite o momento para fazer uma atualização geral nas informações. Vamos lá?

Passo a passo para fazer um currículo bem escrito

Um currículo bem escrito é aquele que entrega toda informação que o recrutador precisa. Para conferir como está o seu currículo no VAGAS.com.br e confira o que melhorar em cada campo:

1. Dados pessoais

Você preencheu todas as informações obrigatórias de forma adequada? Seu e-mail está correto? O número do celular está atualizado? Preste atenção especialmente nas informações de contato porque, se houver algum erro, o recrutador pode ter dificuldade para falar com você. 

2. Objetivo profissional 

Este é um dos campos mais importantes do currículo e precisa ser, como o próprio nome já presume, objetivo. Basicamente, aqui deve estar o nome do cargo que você quer ocupar.

Esse cargo deve estar alinhado com o que é anunciado na vaga de emprego. Gerente de vendas, coordenador de comunicação, analista de BI, jovem aprendiz – são alguns exemplos.

Se você quiser mais informações para preencher este campo da melhor forma, confira este post Objetivo Profissional: um passo para o sucesso.

3. Áreas de interesse

No campo “nível”, você precisa indicar o nível do cargo que você está buscando, de acordo com sua experiência. Entre as opções, estão desde auxiliar, técnico, estágio até sênior, gerência e diretoria.

Temos um post para entender a diferença entre júnior, pleno e sênior. Seja preciso nessa indicação porque ela é eliminatória em muitos processos seletivos.

A “área de interesse” é basicamente sua área de atuação e/ou formação, como marketing, engenharia ou advocacia, por exemplo. 

4. Pretensão salarial

Neste campo do currículo, você deve indicar o salário que tem expectativa de receber, caso seja contratado pela empresa.

Se estiver desempregado, você pode usar como referência o último salário que teve, considerando o momento atual do mercado. Com a crise, os salários costumam ser achatados. 

Se estiver empregado, pode considerar que sua pretensão seja um pouco acima do seu salário atual. Afinal, é preciso ter algum ganho para assumir o risco de mudar de emprego

5. Região de interesse

Este campo não tem segredo. Onde você quer trabalhar? Você concorda em rodar quantos quilômetros da sua casa até o trabalho? Aceitaria viajar ou trabalhar em outra cidade? Seja sincero nas respostas. 

6. Resumo profissional

Como o próprio nome do campo sugere, aqui você deve se apresentar ao recrutador. Em um parágrafo, diga quem você é profissionalmente e o que você já realizou. É preciso escrever as palavras-chave importantes para sua função, que podem ser utilizadas na busca do recrutador por currículos.

Exemplo: Você é administrador com experiência de 15 anos na indústria farmacêutica, conhecimento de finanças e inglês avançado? Você tem experiência em liderança de equipes? Então, certifique-se de que todos esses termos destacados estejam em seu currículo.

É importante também que o parágrafo seja bem escrito e totalmente compreensível para quem não conhece você.

7. Formação acadêmica e complementar

Indique seu nível de escolaridade no primeiro campo. Depois, especifique as informações de seus cursos de Ensino Fundamental, Médio, Superior ou cursos complementares.

Quem tem curso Superior pode dispensar os dados de ensino Fundamental e Médio. A dica, no entanto, é preencher o máximo de informação possível. 

Confira se todos os campos foram preenchidos para cada formação. Lembre-se de incluir cursos complementares que sejam relevantes para o cargo que você quer ocupar. 

8. Idiomas

Para cada idioma, indique seu nível de leitura, escrita e conversação. Não vale a pena dar um “exagerada”, ok? Seja sincero para não ter problemas com isso durante o processo seletivo.

Se você não estiver satisfeito com seu conhecimento de inglês, por exemplo, é mais eficiente tentar estudar o idioma online do que mentir neste campo do currículo. 

9. Histórico profissional

Verifique se o campo Último salário está atualizado. Depois, preencha um campo para cada experiência de trabalho que você teve, começando pela mais recente. É importante que todos os campos sejam devidamente preenchidos. 

Na descrição de cada cargo, é importante deixar claro quais eram suas atribuições e quais resultados você alcançou (utilize dados e estatísticas).

As palavras-chave também são importantes aqui. Lembre-se de distribuí-las pelos campos do histórico, mas considere que elas precisam fazer sentido porque o currículo não será lido apenas por robôs. 

Vale a pena incluir evidências que demonstrem as competências que você está relatando. Por exemplo, você pode mostrar que tem boa capacidade de liderança ao escrever “Utilizei minha capacidade de liderança ao gerenciar equipes que trabalhavam remotamente em um projeto para gerar economia de recursos”. 

10. Informações complementares

Neste campo, você pode incluir trabalho voluntário, outros certificados que sejam relevantes para sua profissão, algum hobby ou atividade de interesse. Não desperdice a oportunidade de mostrar quem você é. 

Se você chegou até aqui comigo e verificou todos os campos do currículo, é bem provável que ele seja um currículo bem escrito.

Cadastre seu currículo no VAGAS.com.br e aproveite inúmeras oportunidades de emprego. Se você já tem um cadastro, atualize-o aqui.