Home > Carreiras > Veterinária > Veterinário: não basta só amar os animais

Veterinário: não basta só amar os animais

Mercado amplo e com boas oportunidades para quem quer abraçar a carreira

por Marcus Lopes

É comum as pessoas acreditarem que o amor aos animais é o suficiente para tornar-se um bom veterinário. Mas não é bem assim. A medicina veterinária é uma ciência complexa e que exige muita dedicação dos alunos e profissionais. Em compensação, o mercado de trabalho é amplo e oferece boas oportunidades às pessoas que abraçam a carreira.

“O bom profissional é aquele que estuda muito e se dedica ao curso. Às vezes não basta amar os animais, pois se o animal está em sofrimento e não há forma de tratamento, o indicado é sacrificar”, alerta a veterinária Carla Balzano de Mattos, coordenadora do curso de medicina veterinária da Universidade Anhanguera de São Paulo.

O curso de veterinária dura cinco anos. Nos primeiros semestres, o aluno cursa disciplinas nas áreas de biológicas, exatas e sociais. A grade curricular inclui matérias como microbiologia, nutrição, genética, matemática e estatística. As matérias práticas, como clínica e cirurgia, anestesiologia, animais silvestres, avicultura, clínica de pequenos e grandes animais, piscicultura e outras são ministradas ao longo do curso. No último ano, o estágio é obrigatório.

As áreas de atuação são múltiplas e o mercado de trabalho é maior no interior do país, já que o Brasil detém um dos maiores rebanhos de bovinos do mundo. O profissional pode atuar na clínica de animais de pequeno e grande porte, controle de saúde de rebanhos e centros de pesquisa.

Na parte industrial, o veterinário é solicitado na área de produtos para animais (fábricas de rações, vacinas e medicamentos), como na indústria de produtos de origem animal (fiscalização de estabelecimentos que produzam, comercializem ou exportem produtos de origem animal).

Nessas áreas de atuação, o médico veterinário participa desde o planejamento e o processo produtivo propriamente dito, até o aproveitamento e consumo dos produtos finais que são indispensáveis para a sobrevivência, a saúde e o bem estar do homem. “É a única profissão que atua desde o nascimento do animal até o consumo da carne ou leite pela população. Ele pode trabalhar em frigoríficos, supermercados, açougues e restaurantes”, explica Balzano.

Na parte de animais silvestres, o formando pode trabalhar em zoológicos, parques e áreas de proteção. No setor público, as maiores oportunidades estão em centros de pesquisa e universidades.

Nas grandes cidades, o destaque é o tratamento de animais de pequeno porte, como gatos e cachorros. O mercado de pet shops e hotéis para animais de estimação também está em alta, mas há uma tendência de saturação por causa do grande número de veterinários e clínicas que exploram esse nicho.

Por isso, de acordo com os especialistas, as melhores oportunidades não estão nas grandes metrópoles. “Há carência de veterinários de animais de grande porte para trabalhar em fazendas”, afirma a  professora.

Confira outras informações sobre a carreira de veterinário no Mapa VAGAS de Carreiras.

Cadastre seu currículo no VAGAS.com.br e aproveite inúmeras oportunidades de emprego. Se você já tem um cadastro, atualize-o aqui.