Home > Carreiras > Turismo > Turismo: a profissão que é uma viagem

Turismo: a profissão que é uma viagem

Por Flávia Pegorin

É fácil notar que, quando se diz “eu sou Agente de Viagens”, Regilaine Santos, 36 anos, já pode conferir um olhar de inveja em sua direção. Claro, qualquer um pensaria que essa, sim, é a profissão que todo mundo pediu a Deus. O curioso é que a paulista com experiência de 16 anos no ramo simplesmente ama o que faz – mesmo desapontando a todos que pensam que ela passa os dias na ponte aérea, visitando hotéis cinco estrelas ou curtindo um roteiro atrás do outro planeta afora.

A realidade de ser um Agente de Turismo não é tão glamourosa. Mas é igualmente encantadora. “Descobri a profissão na prática, quando consegui meu primeiro emprego efetivo em uma agência na cidade de São Bernardo do Campo (SP), onde morava. Foram quase cinco anos ali, me dedicando e aprendendo, até perceber que eu poderia ser para sempre uma boa profissional do Turismo”, diz Regilaine.

Regilaine Santos

Mais tarde ela fez cursos na área, passou por outras empresas, trabalhou como autônoma – tudo no ramo do Turismo, que ela não desvendou na universidade, mas na prática do dia a dia, um passageiro feliz de cada vez. Hoje Regilaine é agente da Bioviagens Turismo, empresa que ela criou para realizar todas as etapas do processo de atender clientes (a parte, disparada, que ela mais gosta).

“Quando atendo ao pedido de um cliente, colaboro 100% para que tudo se realize independente de ser um roteiro para o Taiti ou para Buenos Aires. O importante é ter um bom atendimento e saber que o pedido será realizado e que aquela pessoa voltará falando da sua próxima viagem”.

Para se manter informada sobre a área e sua profissão, Regilaine está sempreparticipando de feiras, eventos, está em permanente contato com as novidades que aparecem pela internet e outros meios de comunicação; ela também atende a convites de operadoras de turismo (que levam os agentes para conhecer os destinos em pauta no momento) – aí sim dando margem àquele pensamento lá de cima, sobre a “vida maravilhosa dos Agentes de Turismo”.

“Entendo tudo isso como aprendizado, porque vivencio a experiência de um turista a fim de saber o que ele vai aproveitar quando comprar determinado pacote”. A rotina pode ser puxada, mas o cenário segue muito lindo para os Agentes de Viagem.

Regilaine Santos

Dicas de carreira da Regilaine

  • Gostar muito do que se faz, porque é um meio que exige constante aprendizado;
  • Comprometimento, é disso que o cliente necessita;
  • Ser bom pesquisador, comunicativo, assim é possível progredir;
  • Manter-se atualizado para estar à frente da concorrência e também para se antecipar aos clientes;
  • Ser esperto, uma pessoa que aprende rápido, que a rotina é muito ágil.

De quebra, Regilaine, como agente, dá também cinco toques sobre lugares que todo mundo deveria conhecer:

  • Nova York, uma cidade que interage com o mundo;
  • Paris, clássica, um lugar que inspira cultura;
  • Um safári na África, todo mundo deveria experimentar porque é ímpar;
  • Fernando de Noronha, águas brasileiras que são de dar inveja no restante do mundo;
  • Disney – especialmente para quem tem filhos (ou gosta de lembrar como é ser criança).