Home > Carreiras > Turismo > Mercado aquecido para profissionais de turismo

Mercado aquecido para profissionais de turismo

Em todo o País, vagas são abertas nas mais diversas atividades ligadas ao setor

por Marcus Lopes

O setor de turismo está em alta no Brasil. A ascensão da classe C, que passou a viajar mais, e a profissionalização cada vez maior da carreira são fatores que tornam a área atrativa para a formação de novos profissionais. Em todo o País, vagas são abertas nas mais diversas atividades ligadas ao turismo, tanto no setor público como no privado.

A atração pelo Brasil no exterior também é outro ponto forte. De acordo com dados do Banco Central, apenas no primeiro semestre deste ano os turistas estrangeiros gastaram R$ 3,6 bilhões em todo o território nacional. Apesar de ser um ano atípico por causa da realização da Copa do Mundo, o turismo nacional demonstra fôlego para atrair ainda mais estrangeiros nos próximos anos.

“O mercado está aquecido, pois, de um lado, acompanha a mobilidade das classes sociais em termos de consumo e preferência de gastos. De outro, cresce a demanda de serviços para atender eventos e viagens corporativas”, afirma Jurandir Oliveira, coordenador-adjunto do curso de Turismo da Universidade Anhembi-Morumbi.

Feiras e congressos
Segundo ele, as melhores oportunidades estão no setor de eventos (feiras, congressos, eventos sociais e culturais), hotelaria, consultoria de viagens e implantação de negócios. No setor público, as oportunidades estão nas secretarias de turismo ou consultoria para o desenvolvimento e exploração de regiões turísticas.

A carreira também oferece especializações direcionadas ao potencial econômico da região. No Rio Grande do Sul, por exemplo, o curso de turismo na Faculdade Fisul, em Garibaldi, é com ênfase em enoturismo. Em outras instituições, a ênfase é no ecoturismo ou no turismo de negócios. Por isso, é importante pesquisar antes de optar pelo ingresso em determinada faculdade.

O curso de Turismo pode ser bacharelado ou tecnológico. No caso do bacharelado, os primeiros anos são mais dedicados a disciplinas como administração, contabilidade e marketing. Há também aulas de formação humanística, como História, Geografia e Português. As matérias específicas, como planejamento turístico, gastronomia e ecoturismo são ministradas ao longo de todo o curso. Há ainda viagens e passeios programados.

Estágio obrigatório
O curso tecnológico é essencialmente voltado para a prática, como, por exemplo, aprendizagem no atendimento em companhias áreas, agências de turismo e eventos. Nos dois casos – bacharelado e tecnológico – o estágio é obrigatório a partir do terceiro ano.

O coordenador da Anhembi-Morumbi dá dicas para quem pretende abraçar a carreira. Estudar idiomas, por exemplo, é fundamental, sendo que o inglês é praticamente obrigatório. “Não basta ser graduado, o aluno tem de fazer cursos de especialização ou mesmo pós-graduação no setor que traçou como alvo da carreira”, diz Oliveira.

“É necessário viajar sempre, nem que seja para destinos próximos, exercitando a observação aguda da infraestrutura urbana e de serviços turísticos, da gestão dos atrativos e interagindo com as comunidades locais”, completa o acadêmico.

*Confira mais artigos sobre profissões na seção Carreiras