Home > Carreiras > TI > Analista de sistemas fala como é seu trabalho

Analista de sistemas fala como é seu trabalho

Por Udo Simons

LourivalDe forma geral, as pessoas pouco associam o Nordeste a assuntos ligados a desenvolvimento tecnológico, apesar de todas as iniciativas da região, mais conhecidas entre pequenos grupos. Quando se fala especificamente do interior nordestino, essa dissociação fica mais evidente.

“Mas estamos aqui para mudar esse preconceito. Para mostrar que hoje nossa condição é outra. Deixamos de ser um local exclusivamente da seca”, fala, de forma tranquila, o analista de sistemas Lourival Portela Junior, 46 anos.

Lourival vive na segunda maior cidade de Pernambuco, Caruaru, localizada no agreste, a 123Km da capital, Recife. Nascido em Fortaleza, Ceará, ele se mudou para lá, em 1998, em busca de oportunidade de trabalho. À época, era técnico de contabilidade. Entre 1993 e 1998, cursou a Escola Técnica de Comércio da capital cearense. E só a partir do ano 2000 que passa a se identificar, publicamente, como analista de sistemas.

Aliás, ser analista de sistemas, atualmente, é pouco para definir suas atividades profissionais. Ao longo de sua carreira, agregou outras qualificações. Ele também é empresário, proprietário da Consultec – Consultoria Técnica em Sistemas e Projetos (consequentemente consultor); e assumiu recentemente a coordenadoria da Câmara Setorial de Tecnologia da Informação, da Associação Comercial e Empresarial de Caruaru – ACIC.

De técnico em contabilidade à analista de sistemas, para Lourival, a mudança de carreira foi consequente, inerente ao resultado de suas decisões profissionais.

“Sempre estive envolvido com a elaboração de sistemas. A análise de situações e desenvolvimento de projetos na área contábil”. Dessa maneira, a migração de suas atividades foi “natural” e desprovida de estudo formal. “Sou autodidata. Aprendi a trabalhar com TI lendo e executando tarefas”.

Ao ser questionado se a falta de diploma específico para exercer a profissão o prejudicaria, ele refuta imediatamente. “De forma alguma. TI é uma área muito abrangente”. Ele também é rápido ao responder negativamente se sofreria algum preconceito por ter 46 anos, já que assuntos ligados à tecnologia são associados a pessoas mais novas. “Estou na crista da onda”.

Para Lourival, a tecnologia da informação está em todos os ambientes de uma empresa. “Nossa área reúne as mais diversas soluções e aprimora a velocidade na comunicação de dados dos negócios. Aumenta, ainda, a precisão da informação trocada”, define. Ele observa também a impossibilidade da sociedade viver sem a atual oferta da tecnologia. “Não existiríamos”.

Ao olhar para o futuro, é otimista no aprimoramento do mercado, na formação de novos profissionais. “No Brasil, temos carência de mão de obra”, pontua. E na maior conscientização do empresariado às demandas de TI em suas empresas. “Essa necessidade vai além do ambiente profissional. Ela está em toda sociedade”.

Com essa certeza, ele vê com bons olhos a decisão do seu filho mais novo, de 18 anos, por sua opção em cursar Ciência da Computação, na Universidade Federal da Paraíba.

“Antigamente, as pessoas não entendiam o que fazia, quando dizia ser analista de sistemas. Hoje, tudo mudou. Acham meu trabalho relevante. Meu filho viverá outra realidade”

Dicas de carreira do Lourival

  • Dedicação;
  • Especialização técnica;
  • Leitura de material da área;
  • Identificar necessidades de mercado;
  • Atualização sobre novas ferramentas tecnológicas.