Home > Carreiras > Telemarketing > Paula prova que é preciso pique para o trabalho temporário!

Paula prova que é preciso pique para o trabalho temporário!

Por Fabíola Lago
Fotos de Rogério Montenegro

“Melhor do que ficar parado, não é?” É assim que Paula Rafaela Diez, de 25 anos, define suas experiências profissionais como temporária. Já foi recepcionista, auxiliar administrativo, atendimento júnior em agências de publicidade. Na VAGAS, Paula já trabalhou em várias áreas cobrindo férias ou ajudando momento de pico de trabalho, como Contratos e em Captação.

“O legal de ser temporário é que você pode trabalhar em áreas diferentes, sem que seja necessário ter experiência anterior naquele segmento.”

Paula sabe que encarar um trabalho temporário é "melhor do que ficar parado"

Paula sabe que encarar um trabalho temporário é “melhor do que ficar parado”

Antes das primeiras inserções no ambiente corporativo, Paula trabalhou desde muito cedo no negócio da família, que tinha ponto de pastelaria em vários lugares. Era uma perfeita “faz tudo”: do recheio do pastel às compras de ingredientes, fechamento de caixa, logística das barracas até o atendimento no balcão.

Paula não recusa um emprego temporário, mas o sangue empreendedor tem falado mais alto. Ela e a mãe já planejam uma nova pastelaria! Temporário ou permanente, contratada ou empresária, o que não falta pique para trabalhar.

Nota do editor: No momento da publicação deste texto, havia 341 vagas de temporários abertas no VAGAS.com.br. Você pode conferi-las aqui.

LEIA TAMBÉM