Home > Carreiras > Recursos Humanos > Analista de RH afirma: “temos de sair do feijão com arroz”

Analista de RH afirma: “temos de sair do feijão com arroz”

Por Fefa Costa

Para conquistar espaço no mercado de trabalho, Ítalo Stéfano Ferreira da Silva, de 23 anos, teve de ser paciente. Ele queria um cargo na área de Psicologia — faculdade em que cursa o quarto ano –, mas fugia da ideia de um consultório. Aproveitou a conversa com professores durante orientação para o estágio exigido pelo curso e desenvolveu um projeto de recursos humanos voltado à gastronomia. Fez um levantamento de todos os restaurantes de sua cidade, a capital alagoana Maceió. Entendeu a importância da culinária em seu estado e nas relações pessoais.

Com uma pesquisa e um projeto em mãos, contou com o apoio da universidade para apresentá-lo aos donos de restaurantes da região. Foi o modo dele conquistar um estágio remunerado e atuar com propósito.

“Vivemos em uma sociedade ansiosa e carente. Restaurante significa restaurar. Esse aconchego aos clientes tem que ser trabalhado com os profissionais. Identificar o aspecto motivacional dos funcionários era a minha proposta.”

A oportunidade surgiu em uns dos mais conhecidos restaurantes de culinária regional de Alagoas. O cargo: analista de RH em uma equipe com mais de 70 colaboradores.

“No começo era para trabalharmos lideranças na equipe. Aproveitei para mostrar meu jeito e minhas ideias, e conquistei meu espaço. Estou aqui há sete meses”, comemora.

Foi a primeira oferta profissional e um grande desafio. Para atingir seus objetivos, Ítalo recorre a muitas atividades em grupo e conversas. Mas avisa: não é um trabalho psicoterapêutico. A proposta é entender a relação dos funcionários com o trabalho.

Ítalo diz que a liberdade é aliada da responsabilidade. Tornou-se, com esses princípios, peça importante na equipe.
“Sinto que todo investimento que fiz — estudar, pesquisar e me debruçar sobre os livros — está sendo recompensado”, revela.

Ítalo diz está satisfeito com que alcançou, mas garante que há muito a ser percorrido:

“Temos de sair do feijão com arroz. Criar novos caminhos e sair de redomas. Investir no percurso.”

Dicas de carreira de Ítalo

  • Encare a faculdade como o mercado de trabalho e não apenas como graduação. Lá aparecem as primeiras oportunidades, seja em pesquisa ou com estágios.
  • Só a maturidade nos faz perceber que nossas expectativas acadêmicas estão muito aquém do mercado. Seja qual for a ciência que você escolheu. As suas atitudes não podem esperar.
  • Invista em uma terapia. Coloque seu amadurecimento pessoal — até emocional — como ferramenta para se desenvolver melhor no trabalho.
  • Se alie a profissionais éticos e que tenham respeito com o trabalho. Só com ética e gosto pelo trabalho é possível fazer conquistas.