Home > Carreiras > Recepcionista > Allan Vasconcelos: O recepcionista que viajou o país sem sair do balcão

Allan Vasconcelos: O recepcionista que viajou o país sem sair do balcão

Por Fernanda Costa
Fotos Facundo Reyna

Allan Cristiano da Silva Vasconcelos tem 32 anos e há oito atua no setor hoteleiro. Fazia serviços gerais no hotel, quando surgiu uma vaga para mensageiro. Em dois meses, a convite do gerente, passou a integrar a equipe da recepção. “Fui movido pela ambição e desejo de crescer. Vi que era minha oportunidade”, comenta.

Há cinco anos trabalhando na recepção, Allan conta com seu empenho no trabalho e uma pitada de ajuda divina para chegar ao cargo de chefe na área.

“Tem que confiar. Estar na hora e lugares certos. Vi muitos colegas crescerem na área aproveitando oportunidades”, diz ao referir-se a seu ex- gerente, que começou filmando turistas na praia, passou para recepcionista, depois gerente e hoje trabalha em um hotel de luxo no paradisíaco arquipélago de Fernando de Noronha.

Allan garante que os ganhos no setor compensam, mas a rotina é cansativa. Segundo ele, é preciso jogo de cintura e flexibilidade para levar de boa uma correria constante.

Ao preparar-se para o cargo, ele fez um curso de recepção do SENAC, que forneceu toda a base teórica das funções e práticas para um bom atendimento.

“O curso é bom e voltado para teoria. O que aprendemos misturado com o que observamos na rotina de um hotel ajuda a agir da melhor forma.”

Allan VasconcelosNa prática é bom sempre estar atendo para aprender mais, e observando ele adquiriu conhecimentos valiosos. Entre eles, destaca a humildade como característica fundamental para quem está no começo de carreira.

“Ter humildade para começar por baixo é bom para conhecer o ambiente, sem restrições.”

O maior desafio para quem está do outro lado de dentro da recepção é dominar, com simpatia, as mais diversas situações e estresses.

“Lidamos com diversas personalidades e a simpatia ajuda com todas elas. Tem gente que é tinhosa. Um sorriso, atenção e atitude proativa desfazem qualquer cara fechada.”

Allan conhece o Brasil sem ter saído do estado onde nasceu e vive até hoje, Alagoas. Com os clientes do hotel em que trabalha – na movimentada praia de Pajuçara – Maceió, ele se sente realizado.

“Amo estar na recepção. Amo hotelaria. Foi aqui que encontrei oportunidades para crescer. Aqui eu me encontrei. Com os clientes e amigos viajo o Brasil inteiro, todos os dias, sem sair da recepção.”

Dicas de Allan Cristiano
– Para quem já está dentro, especialização é fundamental.
– Buscar curso e formação para estar atualizado e qualificado.
– É importante ter noção de outros idiomas. Uma base ajuda a passar ao cliente informações que ele busca.
– Tenha em mente que hotelaria não é uma área que vai te dar somente alegrias, vai dar muito trabalho também. É preciso estar disposto e ter compromisso.