Home > Carreiras > Psicologia > Psicólogo: profissão além do estereótipo

Psicólogo: profissão além do estereótipo

Campo de atuação vai de empresas, escolas, e hospitais ao sistema prisional

por Marcus Lopes

A psicologia sempre foi uma carreira na área de humanas ligada à relação terapeuta-paciente em consultórios particulares. A profissão, porém, vai muito além do estereótipo do psicólogo tradicional, nos moldes retratados na série Sessão de Terapia, que tem feito sucesso na TV paga.

Nos últimos anos, a profissão deu um grande salto e tem se pautado no compromisso de atingir a sociedade de forma mais ampla. Nesse sentido, o psicólogo não atua mais só nos consultórios, mas também em ações voltadas à saúde mental e coletiva em empresas, escolas, hospitais, organizações não-governamentais (ONGs), órgãos públicos e até no sistema prisional.

“O bom profissional deve estar preparado para aplicar e produzir conhecimentos científicos para a solução dos problemas que vivemos em nossa sociedade. Para propor e desenvolver estratégias de intervenção nos campos da saúde, educação, trabalho, esporte, justiça e assistência social”, afirma o coordenador do curso de Psicologia da Universidade Presbiteriana Mackenzie, Erich Franco.

Além disso, segundo o professor,o psicólogo deve estar pronto para apresentar, além das práticas tradicionais em psicologia, propostas inovadoras adequadas à nossa variada dinâmica social.

Fenômenos psíquicos
O curso dura, em média, cinco anos. De uma maneira geral, trata-se do estudo dos fenômenos psíquicos e do comportamento do ser humano através da análise das suas emoções, ideias e valores. Seu objetivo é diagnosticar, prevenir e tratar doenças mentais, distúrbios emocionais e de personalidade.

Para tornar-se um bom psicólogo, a dedicação ao estudo e às leituras deve ser intensa. Durante o curso, são ministradas aulas de psicologia clínica, social e organizacional. O aluno também estuda neurologia, antropologia, e teoria psicanalítica. Estágios em clínicas são obrigatórios.

O magistério é outra boa opção para aqueles ainda em dúvida sobre qual profissão seguir. Nesse caso, o aluno deve estudar ainda mais. Uma resolução do MEC de 2011 determinou que a licenciatura em Psicologia deve ser complementar ao bacharelado. Ou seja, o estudante deve cumprir, no mínimo, mais 800 horas/aula de licenciatura, após concluir o bacharelado.

É importante não confundir o trabalho do psicólogo com o do psiquiatra. A psiquiatria só pode ser exercida por formados em medicina e com especialização na área. Além disso, apenas o psiquiatra pode receitar remédios.

Mercado de trabalho
O mercado de trabalho tem crescido de maneira acelerada, em parte graças a ações governamentais. Uma resolução da Agência Nacional de Saúde (ANS), por exemplo, obriga os planos de saúde a ampliar o número de sessões com psicólogos cobertas pela operadora.

As oportunidades também crescem no setor público, com a realização de concursos para a contratação de profissionais para atuar em prefeituras e órgãos federais e estaduais. “O mercado de trabalho tende a se ampliar ainda mais, principalmente nos campos da saúde e da educação, envolvendo as políticas públicas”, afirma Franco.