Home > Carreiras > Pedagogia > Educação que transforma vidas

Educação que transforma vidas

Solange Aparecida Silva acredita que a melhor forma de educar é através do vínculo que se cria entre educador e educando, teoria que ela vem comprovando desde que começou a trabalhar como professora no município de Taboão da Serra, na Grande São Paulo.

Foram esses vínculos, em última instância, que permitiram que Dona Francisca, uma idosa de 80 anos, superasse todos os obstáculos e não desistisse do seu sonho de aprender a ler e escrever, e que transformaram o pequeno Isac, uma criança com dificuldade de interação e limites com os professores e colegas, em um garoto mais calmo, participativo e interessado em artes. Dona Francisca foi aluna de Solange no curso de Educação de Jovens e Adultos (EJA) oferecido pela Prefeitura de Taboão, e Isac frequenta o Projeto Arrastão, organização não governamental onde Solange trabalha há 19 anos.

Se no EJA o objetivo era aplicar a metodologia para que adultos alcançassem o objetivo de ler e escrever e, com ele, mais autonomia diante de aspectos práticos da vida, no Projeto Arrastão o céu é o limite. A ONG, fundada há 45 anos na região de Campo Limpo, zona sul de São Paulo, vem transformando a vida de famílias inteiras ao oferecer atividades socioeducativas que preparam as crianças e os jovens para o mundo, apresentando-os à arte e estimulando a prática da cidadania. São mais de 1 mil crianças, adolescentes e jovens atendidos na programação infantil, no Centro para Crianças e Adolescentes (CCA) e no Centro de Juventude da ONG. Isso significa que muitos deles entram na entidade ainda bebês e saem já adultos.

Solteira e sem filhos, Solange concluiu o curso de pedagogia em 1999, motivada pelo trabalho desenvolvido no Projeto Arrastão. Desde 1996 coordena o CCA, que atende 360 crianças e adolescentes na faixa etária dos 6 aos 14. Entre suas atribuições estão a definição das oficinas e projetos que serão desenvolvidos ao longo do ano pelos educadores e “oficineiros” da equipe. “Eu os incentivo não apenas a buscarem formação e serem criativos, mas também a serem um exemplo na formação dessas crianças”, comenta a coordenadora, responsável também pela interação constante com as famílias.

Áreas como teatro, canto, educação ambiental, educação financeira e cidadania são foco do trabalho feito em todas as áreas do Arrastão. E alguns projetos são tão efetivos que extrapolam os limites da ONG. Como o que vem sendo realizado há alguns anos juntamente com o linguista francês Elie Bajard, com ênfase na leitura e escrita. A metodologia desenvolvida foi tão eficaz e inovadora que deu origem ao livro A descoberta da língua escrita, voltado a educadores. Outras experiências transformadoras são as rodas de conversa e assembleias, nas quais as crianças e os adolescentes discutem todo tipo de assunto como comportamento, conflitos, necessidades, pontos de vista, em momento voltado a resoluções e decisões coletivas.

“É um espaço no qual eles aprendem o princípio da democracia e é incrível o resultado que uma iniciativa como esta pode trazer.”

A sensação de poder exercer plenamente o seu ofício, fazendo as pessoas crescerem – e de crescer junto com elas – fez com que há alguns anos Solange abrisse mão de um cargo concursado na Prefeitura de Taboão da Serra para dedicar-se integralmente ao trabalho na ONG. “Hoje eu sei que a missão do Projeto Arrastão é a minha missão, sei que aqui encontrei o meu lugar como educadora.”

Dicas de carreira de Solange

  • Não se subestime: você sempre pode aprender mais, se desenvolver mais. E nem subestime a capacidade de uma criança: não existem limites para o seu potencial.
  • Vá atrás do seu sonho profissional.
  • Dê o máximo de si, sempre, apesar dos obstáculos. Eles sempre existirão e servem para serem superados.