Home > Carreiras > Nutrição > Lactarista: cuidando da alimentação dos pequenos

Lactarista: cuidando da alimentação dos pequenos

Além de creches, mercado oferece oportunidades em escolas e hospitais

por Heloisa Valente
fotos por Ailton de Oliveira

Cuidar da alimentação das crianças não é somente papel de mães, pediatras e nutricionistas. Uma profissão pouco conhecida da maioria das pessoas, a de lactarista, pode ser fundamental para a construção de um hábito alimentar saudável desde os primeiros passos da vida.

E é exatamente essa tarefa que traz satisfação diária para Nilva da Silva Dias Monte, lactarista do Ceduc, creche corporativa na unidade da Natura, em Cajamar (SP). Ela conta que começou na profissão por acaso, atraída apenas por gostar de crianças. “Sou mãe de um adolescente de 17 anos e sempre gostei dos pequenos. Cuidar da alimentação deles e fazer desse momento um período gostoso é um prazer”, diz.

Nilva está em constante aprendizado em cursos internos sob a supervisão de uma nutricionista. “É importante conhecer os alimentos (frutas, legumes, verduras e outros) e a combinação mais adequada que podemos fazer com eles. Bom também é poder tirar dúvidas quanto ao preparo, manuseio e armazenamento”, conta.

Na creche ela responde pelo cuidado e elaboração de mamadeiras e papinhas servidas às crianças, tarefa que divide com outras seis colegas do ramo. A unidade atende mais de 120 filhos de funcionários da empresa de cosméticos, na faixa etária entre 7 meses e 3 anos de idade.

Nilva da Silva Dias Monte lactarista da creche da Natura

Criatividade
“Trabalhei aqui por quase quatro anos como auxiliar geral, saí e retornei há um ano para a vaga de lactarista. É uma satisfação ver o resultado do trabalho porque é comum os pais comentarem que os filhos se alimentam bem aqui e que em casa não querem saber das refeições”, diz.

A motivação dos pequenos, no entanto, pode ser explicada pela criatividade na hora da comida. “Procuramos criar um ambiente agradável e que desperte a curiosidade deles. Esculturas feitas com melancias ou outra fruta e até um palhaço montado com sobremesas são comuns dividirem o espaço com as crianças na hora da alimentação,”

Esse é um trabalho de constante inovação e que tem ideias debatidas em cursos e reuniões. “Fico feliz em ver que o resultado vale a pena. Mas o melhor da profissão é estar em contato diário com as crianças”, afirma a profissional.

Atuação e salário
A atividade de lactarista não exige formação específica, mas existem cursos técnicos e livres na área. O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), do Governo Federal, por exemplo, inclui a modalidade em sua lista de cursos. O salário médio de um profissional é de R$ 1 mil.

Além de creches, o mercado de trabalho oferece oportunidades em escolas e hospitais, onde as principais atribuições são: preparar refeições de bebês de acordo com prescrições pediátricas e/ou nutricionais; armazenar leites e papinhas; higienizar mamadeiras e chupetas; e controlar o estoque de comida para crianças.