Home > Carreiras > Mestre Cervejeiro > Mestre cervejeiro vai além da prova da bebida

Mestre cervejeiro vai além da prova da bebida

Profissional se envolve em todas as etapas da produção da cerveja

por Guss de Lucca
fotos por Ailton de Oliveira

Talvez por ter um nome pomposo a profissão de mestre cervejeiro é idealizada por muitos como o sonho de qualquer botequeiro. No imaginário popular o trabalho consiste em provar cervejas o dia inteiro como um tipo de controle de qualidade. O que de fato ocorre, mas não com essa constância e tão pouco com o mesmo prazer que um boêmio sente ao desfrutar sua bebida no bar.

“As pessoas acham o máximo quando descobrem que faço degustação de cerveja, mas às 8h da manhã não é legal”, conta animada a engenheira de alimentos Bianca Franzini, gerente industrial e mestre cervejeira da Cervejaria Colorado. “O mestre cervejeiro é o responsável pela qualidade de todos os processos que envolvem a produção da cerveja”, completa.

Foi durante a faculdade que o interesse pela fabricação de bebidas surgiu na vida de Bianca. Determinada a entrar nessa área, a estudante entrou como trainee na Ambev, responsável pela fabricação de cervejas como Antarctica, Brahma e Skol, e lá ficou por sete anos.

Descarregar caminhão
“Viram que eu gostava e tinha aptidão por essa área. Fui treinada por cinco meses e depois integrei a equipe do mestre cervejeiro na fábrica de Agudos, onde ajudava em tudo: desde descarregar o caminhão de malte até o envase da bebida”, explica a engenheira.

Há sete meses na Colorado, Bianca assumiu a área industrial da cervejaria, que de acordo com ela é menor que o próprio nome. “É uma empresa pequena, mas com uma marca grande, que todo mundo conhece. Entrei para cuidar de tudo que envolve a fabricação própria e de duas terceirizadas, mas acabei assumindo a parte de logística e de compras de novos produtos.”

engenheira de alimentos Bianca Franzini

Apesar do cotidiano corrido, ela diz que encontra tempo para aproveitar uma cerveja fora do expediente.  “Existe uma diferença entre a boa cerveja e a cerveja boa. A boa cerveja é a que está dentro do estilo que ela se propõe a ser. Essa é a cerveja que procuro no trabalho. Agora no bar eu quero a cerveja boa, que agrada meu paladar naquele momento”, explica.

Dentro do mundo das cervejas
Apesar de não existir formação universitária certa para mestre cervejeiro, Bianca conta que os profissionais costumam vir de áreas como biologia, química e engenharia. “É importante ter conhecimento dos processos químicos. Isso facilita o entendimento. Pessoas sem formação técnica também aprendem a fazer boa cerveja, mas não sabem por que aquilo dá certo. Quem estudou química entende”, ressalta.

Mas nem só de fórmulas é feito um bom mestre cervejeiro. Os anos de trabalho ensinaram a Bianca que saber lidar com pessoas faz a diferença ao profissional. “Tem que gostar de trabalhar com gente e precisa ser curioso, pois o mundo da cerveja é gigantesco. Existem três grandes famílias de cervejas, mas dentro delas há uma infinidade de estilos.”

Segundo a engenheira, os interessados precisam ter em mente que a jornada até a o cargo de mestre cervejeiro envolve muito trabalho em funções menores e com salários mais baixos, na base de R$ 1,5 mil, dependendo da cervejaria. Um esforço que pode ser recompensado no futuro com os cinco dígitos que recebem normalmente os  mestres cervejeiros.