Home > Carreiras > Mandrilhador > Mandrilhador: saiba o que este profissional faz

Mandrilhador: saiba o que este profissional faz

Trabalhador está por trás de peças enormes e vitais para a sociedade

por Guss de Lucca
fotos por Ailton de Oliveira

Além de mostrar as trajetórias percorridas por profissionais de cerca de seis mil cargos diferentes, o Mapa VAGAS de Carreiras revela profissões muitas vezes desconhecidas pelo público em geral. E com a equipe desenvolvedora da ferramenta, cujo acesso gratuito já está disponível na internet, não foi diferente.

Ronie Uliana, arquiteto de software da VAGAS , revela que uma parte interessante do trabalho de criação foi descobrir não apenas profissões que ele desconhecia, mas siglas que sequer imaginava existirem também. “Descobrimos que aquela recepcionista do consultório do dentista não é apenas recepcionista, ela é uma ASB – assistente de saúde bucal”, conta.

Outra curiosidade, que foi inclusive utilizada como exemplo durante o processo de desenvolvimento, foi a profissão de mandrilhador CNC – uma palavra até então nunca ouvida pelos envolvidos, mas super comum a Luis Fernando Batista Leite. Aos 27, ele acumula experiência de quatro anos trabalhando em usinagem.

Até 80 toneladas
“O mandrilhador é responsável pela construção de peças de grande porte utilizadas em siderurgia, poços de petróleo e muitas outras atividades. Com pesos que podem variam de três até 80 toneladas, essas peças são feitas a partir de materiais como alumínio, aço, aço fundido e aço forjado”, explica Leite.

Diferentemente do fresador, que trabalha com peças de menor porte e cujo cargo pode ser considerado um degrau abaixo do mandrilhador, Leite dificilmente produz em larga escala por conta do tamanho e complexidade das peças. “Geralmente são pequenos lotes de quatro peças, no máximo oito.”

Segundo o mandrilhador, a pá de uma turbina usada em uma hidrelétrica como Itaipu, por exemplo, pode demorar de 20 a 25 dias de usinagem para ficar pronta. É um trabalho que não para, literalmente, e envolve até os fins de semana. Já passei 30 dias fazendo peças desse tipo – cujo custo para o comprador fica em torno de R$ 1.5 milhão a R$ 2 milhões”, relata.

Máquina computadorizada
A sigla CNC distingue um mandrilhador comum daquele que sabe operar uma máquina computadorizada. “CNC significa Comando Numérico Computadorizado. Alguns mandrilhadores trabalham em máquinas manuais, com alavancas e manivelas. Já a que eu opero – como CNC – tem uma tela do computador, onde eu digito as coordenadas para que ela execute o serviço”, explica.

Por conta do valor e da complexidade, o profissional precisa estar atento para evitar erros na produção. “As possibilidades de erros são inúmeras. A ferramenta pode romper por não suportar a usinagem ou um erro de medida comprometer a peça… Pode acontecer de tudo e o produto final não sair coerente com o desenho. Por isso é preciso ficar atento.”

Luis Fernando Batista Leite mandrilhador

De acordo com Leite, existe espaço no mercado, porém, a idade pode ser um problema para quem quer começar. “Um mandrilhador da minha idade sofre um pouco pra conseguir serviço, pois existem empresas que não pegam funcionários com menos de 33 anos por acreditar que esse é o tempo mínimo para se adquirir experiência na área”, conta.

CNC III
A dica é começar de baixo, como fresador, e aos poucos ir passando para mandrilhadoras menores. “É importante fazer um curso de programação de máquinas CNC e almejar chegar a mandrilhador CNC III, que é o topo da categoria. Para isso aproveite o tempo livre pra acompanhar o serviço de um profissional com experiência, se preciso gaste até o sábado nisso.”

Com remunerações que variam de região e empresa, mas que estão numa faixa de R$ 3 a R$ 4,5 mil, ele também aconselha aos futuros mandrilhadores não se fixarem na ideia de trabalhar em apenas uma região. “Nessa profissão a gente costuma ir onde está o serviço. Já trabalhei em Sertãozinho, no interior de São Paulo, e agora estou em Jundiaí. Mas já tive propostas de ir pra Manaus”, revela.