Home > Carreiras > Jornalismo > Gestão de redes sociais: muito além do “like”

Gestão de redes sociais: muito além do “like”

Por Fernanda Bottoni

Curiosa, apaixonada por ouvir e contar histórias, interessada em gente e em sempre estar informada sobre vários temas, Patricia Albuquerque, sócia-diretora da Espalhe Marketing de Guerrilha, agência especializada em redes sociais, sempre soube que seu lugar seria o Jornalismo.

Aluna da PUC-Rio, ela começou a carreira fazendo estágio no jornal da faculdade. De lá, foi para O Globo como repórter do Jornal de Bairros. “Foi minha primeira grande escola em relação a jornalismo, relacionamento profissional, feedback, processos, postura corporativa”, conta. Ainda n’O Globo, ela foi transferida para o Caderno ELA, em que trabalhou em reportagens mais extensas e sofisticadas. “A vaga foi disputadíssima, o ELA tinha mais apuro visual do que qualquer outra parte do jornal.”

Tempos depois, Patrícia se tornou editora da Canal EXTRA, do jornal EXTRA. “Fiz parte da equipe que participou do desenvolvimento desse projeto super bem sucedido, e, no EXTRA, virei chefe, editando a revista que vai para as bancas junto com a edição de domingo — com responsabilidade de venda, inclusive, já que o jornal não tem assinatura”, lembra. De lá, foi para a Caras como repórter especial. “Editei três vezes a Ilha de Caras, fui também três vezes ao Castelo de Caras e também editei a Villa de Caras durante o Festival de Cinema de Gramado”, resume. “Muito trabalho e aprendizados em relação a eventos, liderança de equipes em momentos de pressão, relacionamento com empresas, patrocinadores, celebridades, marketing.”

Foi então que Patrícia deixou as redações para desenvolver conteúdo para marcas em plataformas digitais e sociais na Espalhe. “Fui muito feliz nas redações pelas quais passei, mas a possibilidade de migrar e passar a trabalhar com conteúdo para marcas, com plataformas digitais e sociais, foi realmente uma grande descoberta,” diz.

Agora, ela normalmente passa os dias envolvida com os planejamentos estratégicos para os perfis proprietários que a Espalhe administra e com as entregas de conteúdo para as campanhas de guerrilha.

Para Patrícia, o mais bacana da sua área de atuação é que, diariamente, ela está ocupada em contar histórias variadas para diferentes tipos de público, com diferentes profundidades, extensão e timming e em diferentes plataformas. “Acho essa rotina um privilégio.”

Dicas da Patrícia

  • É preciso ser criativo, independentemente da sua área de formação. Aqui na Espalhe, mais especificamente nas áreas proximamente relacionadas com o trabalho que faço, temos jornalistas, publicitários, relações públicas, diretores de arte, gente que estudou Letras, que chamou nossa atenção por causa de seu trabalho como ilustrador, porque mantinha um blog ou fanpage interessante. E também temos ou já tivemos na agência outros perfis, como advogado e até um físico.
  • Também é preciso entender as mudanças pelas quais o mercado de comunicação e o mundo vêm passando e tentar estar constantemente expandindo seus horizontes e adquirindo referências, seja lendo, viajando, vendo filmes, fazendo cursos de extensão. É legal entender suas paixões, se aprofundar nelas.
  • Em relação à postura, é sempre melhor a disponibilidade para assumir responsabilidades, ser orientado por resultados mensuráveis, ter disposição de aprender e foco em fazer entregas, em vez de ficar mudando horizontalmente de um lado para outro.