Home > Carreiras > Jornalismo > A área de Jornalismo e suas evoluções

A área de Jornalismo e suas evoluções

O bom profissional tem que ser curioso e questionador

por Marcus Lopes

O Jornalismo passa por um processo de transformação. Antes restrita às mídias tradicionais – jornais, revistas, TV e rádio – a profissão encontra-se em expansão graças às oportunidades abertas em outros setores do mercado, em entidades associativas e em organizações não governamentais. A profissionalização cada vez maior do setor público é outro campo a ser explorado pelos jornalistas.

“Há vagas em todos os setores, mas a mídia tradicional tende a ter uma expressão menor, ao passo que a internet e o mercado de comunicação organizacional tendem a crescer. Há muito espaço também para ideias novas e para o empreendedorismo em Jornalismo”, diz a coordenadora do curso de Jornalismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie, Denise Paiero.

O perfil do jornalista

Apesar da ascensão das mídias eletrônicas, os jovens que pretendem abraçar a profissão devem seguir os preceitos básicos que norteiam desde os tempos da máquina de escrever: curiosidade insaciável, muita leitura, sólida formação humanística, disponibilidade para trabalhar muito e idiomas. Cursos de pós-graduação são desejáveis, em especial nas áreas de atuação do profissional, como Economia ou Política. Para quem atua no setor empresarial, cursos de extensão na área de negócios são opções para o crescimento da carreira do jornalista.

Não obrigatoriedade do diploma

A não obrigatoriedade do diploma para o exercício do Jornalismo (que ainda provoca discussões) não diminuiu a procura pelos cursos no país. Até porque as empresas dão preferência para jornalistas formados no preenchimento das vagas.

“Mesmo com o fim da exigência do diploma, o mercado continua buscando profissionais especializados na área, como já ocorre há algum tempo com cursos em que o diploma também não é obrigatório”, explica Paiero. “Ou seja, o impacto do fim da exigência do diploma foi mínimo ou inexistente. E esse cenário ratifica a importância da formação superior em Jornalismo”, completa.

O curso de Jornalismo

O curso dura quatro anos e é dividido em disciplinas teóricas e práticas. Nos dois primeiros anos, o aluno geralmente convive mais com disciplinas teóricas, como Língua Portuguesa, Sociologia e História da Arte. As matérias práticas são ligadas ao dia a dia, como Redação, Fotografia, Rádio e TV.

O mercado de trabalho

“O bom profissional de Jornalismo precisa ser curioso e questionador”, diz Paiero. Ela destaca que o leque de possibilidades no mercado de trabalho é muito amplo. “Há espaço nas chamadas mídias tradicionais e também nos veículos ligados à internet, como portais de notícias, sites etc. Também há espaço crescente na área de comunicação organizacional, publicações empresariais e os setores de comunicação de empresas e outras instituições”, completa. O jornalista também pode atuar como fotojornalista, diagramador, gestor de comunicação e produtor de conteúdo, entre outras possibilidades.

Confira mais informações sobre a carreira de jornalista no Mapa VAGAS de Carreiras.