Home > Carreiras > Inventor > A ocasião faz o inventor?

A ocasião faz o inventor?

Dicas para o sucesso no mercado de ideias inovadoras

por Guss de Lucca
fotos por Newton Santos

Esqueça a imagem do inventor como um cientista de jaleco branco dentro de um laboratório cheio de traquitanas e máquinas esquisitas. Essa caricatura oriunda das histórias em quadrinhos e clássicos da ficção científica não poderia estar mais distante da realidade.

Prova disso está na empresária e inventora Paula Borghi, que ao lado do marido, Luca Gardenghi, criou a cama para animais de estimação Brandina – um projeto que nasceu de uma necessidade pessoal do casal, ou melhor, da cachorrinha Lassie, que ambos adotaram quando se conheceram, na Itália.

Paula Borghi“Lá ela tinha essa cama suspensa, que aqui é mais conhecida como cama de corda ou de exército – e ela adorava a cama. Quando nos mudamos para o Brasil procuramos por uma similar e não encontramos nada no mercado. Acabamos pagando por uma bagagem extra para trazer a cama, afinal ela gostava muito”, conta ela.

No país ambos seguiram com suas carreiras, ela trabalhando com moda e ele administração, até que adotaram uma cachorra da rua, a Princesa – e com ela voltou a discussão da cama suspensa, que permanecia inexistente por aqui. Esse foi o estímulo que o casal precisou para resolver produzir a sua própria cama.

“Largamos tudo e bolamos essa coisa da cama se desmontar inteirinha. Se alguém acaba na mesma situação que a gente não vai ter que pagar por uma bagagem extra como nós”, diz Paula, que acabou usando seu conhecimento em moda para escolher um tecido de microfibra em que o pelo do cão não gruda.

“Amo cachorro, mas não gosto de pelo e cheiro. E o fato de conseguir manter essa cama higiênica é ótimo para mim. Além disso, criamos capas protetoras que se afixam com botões de pressão e podem ser trocadas como um lençol, substituindo aquelas mantas velhas que as pessoas costumam usar”, relata a empresária.

Depois de passar por meses de desenvolvimento, o que envolveu a participação de outros profissionais, como um designer gráfico e um especialista em modelagem de tecidos, a cama suspensa dobrável saiu do papel e foi patenteada, sendo atualmente comercializada em pet shops e no site oficial.

“É um produto inteiramente feito no Brasil. Imagine o preço de custo de fabricação? Mesmo porque não usamos nenhum material de segunda – tudo é de primeira qualidade. Nosso botão de pressão é o melhor do mercado”, garante Paula, que já trabalha em um novo produto fazendo uso da mesma microfibra. “É um protetor universal para banco de carros que transportam pets”, revela ela empolgada.

Aos companheiros inventores a empresária aconselha fugir do amadorismo, a principal armadilha de quem quer tirar uma ideia do papel e não sabe como. “No começo temos aquele pensamento de economizar em tudo. Mas se quiser fazer algo vingar conheça fabricantes, fornecedores de materiais e encontre outras pessoas, especialistas que abracem o projeto. Sozinha ninguém faz nada”.

*O dia do inventor é comemorado em 04 de novembro.