Home > Carreiras > Gastronomia > Gastronomia: arriscar é a palavra de ordem

Gastronomia: arriscar é a palavra de ordem

Por Fernanda Costa
Fotos de Rogério Montenegro

Um bom prato aguça o paladar, o olfato, a visão e até a audição. Mas, para Daniel Ottaiano, 28 anos, a Gastronomia aguçou também a vontade de ir alem em seus conhecimentos.

Formado em Jornalismo, com pós graduação em Gastronomia, ele – que é neto de banqueteira e rodeado de chefs de cozinha em sua família – conseguiu a receita para transformar seu universo pessoal em um caminho profissional bem sucedido.

Em 2002, os cursos de Gastronomia estavam em suas primeiras turmas, por isso optou pelo Jornalismo. Anos depois, veio a pós e a possibilidade de agregar novamente seu sonho. Em pouco tempo, estava escrevendo em uma importante revista gastronômica.

Tudo perfeito? Ainda não. Faltavam novos temperos e ingredientes.

“Mesmo com todas essas voltas e trabalhando na área, sentia que ainda não era isso que queria. Parecia que o curso que queria fazer ainda não existia”, revela Daniel.

2011 foi o ano da virada. Aprovado para fazer seu mestrado na área de Comunicação em Gastronomia na Itália, ele viu a possibilidade de se envolver com a culinária não apenas pelo jornalismo.

“Queria trabalhar com planejamento de comunicação em gastronomia. Como falar ao consumidor sobre procedência e como utilizar. As pessoas têm curiosidade. O curso me abriu para isso”.

O curso era voltado para estrangeiros e haviam profissionais de diversas áreas e países. Essa troca foi valiosa para o crescimento do jornalista. “Nessa carreira existem vários caminhos. O meu é para comunicação. Mas, tem pesquisa de produtos e muitas outras”.

Atuando na comunicação de uma grande rede de mercado do varejo, Daniel revela que a área no Brasil está em crescimento e com tendências a mudar, com a busca de pessoas especializadas e qualificadas.

“Aqui não se pede formação para quem trabalha. Profissionais que saibam como lidar com os alimentos, como administrar, comunicar a conexão do campo ao prato e outras rotinas que são bem diferentes uma das outras”.

Para a receita do universo pessoal e planos profissionais dar certo, Daniel revela um segredo especial: fazer o que gosta e, assim como um bom almoço, compartilhar com a família e amigos. “Ter tranquilidade na relação de ganhos e com o trabalho é o resultado da união desses mundos”.

 

Dicas de carreira do Daniel:

  • Pesquisar todas as possibilidades do trabalho com gastronomia. Não focar apenas na cozinha;
  • Tem que arriscar, isso eu percebi na prática. Não pode se acomodar;
  • Buscar se especializar de outras maneiras. A gastronomia tende a segmentar cada vez mais.