Home > Carreiras > Eventos > Não existe rotina para quem trabalha com eventos!

Não existe rotina para quem trabalha com eventos!

Por Udo Simons

A trajetória profissional de Val Sousa, de 39 anos, começou dentro de um ônibus em Fortaleza, capital do Ceará. À época, ela não imaginava que um casual encontro com uma desconhecida senhora a faria conseguir seu primeiro emprego e abriria caminho às conquistas futuras.

“Era adolescente, tinha 15 anos. Comentei com uma mulher, ao meu lado, sobre minha vontade de trabalhar. Ela me deu o endereço de uma empresa, onde deixei meu currículo. Alguns dias depois, fui contratada.”

Naquele momento, Val conseguiu emprego para fazer divulgação. Panfletagem, na prática. Nessa função permaneceu por seis meses. Em seguida, foi para a recepção do lugar. “Como o serviço não era muito, a todo o momento eu me oferecia para ajudar em outras áreas.” Junto à recepção, estava a sala de Recursos Humanos, departamento para o qual foi transferida e permaneceu por um ano. Quando a secretária da superintendência da empresa pediu demissão, o nome de Val foi cogitado e ela conseguiu o cargo. Paralelo a isso, ela fazia o curso de Gestão em Recursos Humanos, na Faculdade Gama Filho, onde concluiu sua formação em 2003.

O cotidiano de Val era agitado como secretária. Por outro lado, ela via nascer um certo interesse por organização de eventos. “Era de minha responsabilidade supervisionar essas ações na empresa. Passei a gostar dessa atividade”, relembra. Esse interesse tornou-se marco para seu destino profissional. Foram os primeiros passos na trilha de sua carreia, de fato.

“Fui desligada da empresa em meados dos anos de 1990. Dois dias depois de minha demissão estava empregada em outro local, ainda como secretária, ainda na presidência do novo grupo.”

Naquele momento, já era tarde. Internamente, Val sabia que organizar eventos seria seu destino. “Sempre pedia para ser liberada quando sabia que haveria encontros, festas, palestras. Pedia para ajudar na organização.” Não demorou muito para seu chefe perceber seu interesse e solicitar a transferência de Val para a tão almejada área de eventos. “Tornei-me coordenadora. Até passei a ganhar mais”, diz.

Atualmente, Val é gerente executiva de eventos na VC Eventos, empresa para a qual trabalha há nove anos, na capital cearense. “Trabalhar com eventos é estar acima dos limites”, pondera. Não é fácil, mas este trabalho é sua paixão. “É viciante. Tem de gostar muito, se envolver completamente.” Envolvimento mesmo! Ela chega a relatar jornadas de 24 horas ininterruptas nos dias que antecedem a realização de eventos. “Todo dia é diferente. Cada evento sempre é único”, atesta.

Tal esforço se deve à variável envolvida nesse setor. Do planejamento a execução de encontros, coquetéis, seminários, feiras de exposição, entre outros, tudo, absolutamente tudo tem de ser contemplado, imaginado e implementado por quem é da organização — produtores, coordenadores, assistentes. E são muitos os detalhes: luz, segurança, limpeza, administração de pessoas, decoração… A lista de itens é enorme. Não à toa, empreendedorismo é característica vital para quem deseja esse trabalho. “Tem de ser ágil, criativo e detalhista”, enumera. Sacrificar a vida pessoal, em muitas ocasiões é comum. “A rotina inexiste. Mesmo assim, dá para ter uma vida.” Val, por exemplo, tem uma filha de 13 anos e um namorado. “Não pensamos em nos casar agora. Assim está bom”, revela.

Dicas de carreira de Val:

  • Gostar do que faz
  • Desenvolver a criatividade
  • Ser detalhista
  • Ter persistência
  • Ser empreendedor