Home > Carreiras > Engenharia Mecânica > Mecânica, uma das principais áreas da engenharia

Mecânica, uma das principais áreas da engenharia

Mercado procura por profissionais capazes de trabalhar em equipe

por Marcus Lopes

Quando se fala em engenharia mecânica, a primeira ligação da carreira é com a indústria automobilística, em especial na construção de motores. Mas a carreira vai muito além das linhas de montagem de automóveis e o leque de opções profissionais é bastante diversificado.

Considerada uma das principais áreas da engenharia, a engenharia mecânica é o setor que cuida do projeto, desenvolvimento, construção e manutenção de máquinas e equipamentos. Por isso, desde o projeto de um brinquedo até a indústria aerospacial, o engenheiro mecânico está presente em praticamente todas as fases que envolvem a fabricação e a manutenção de produtos.

Nas últimas décadas, a ampliação dos conhecimentos na área eletrônica e de computação resultou na criação de uma nova habilitação, a mecatrônica, que tem atraído diversos estudantes.

Termodinâmica, mecânica dos fluidos…
O curso é fundamentado nas disciplinas ligadas à física, química, mecânica e desenho, em conjunto com a matemática e a computação. Na grade curricular, além das matérias básicas de engenharia, o aluno tem aulas de termodinâmica, mecânica dos fluidos, processos de transformação, resistência de materiais e sistemas mecânicos, entre outros.

“O bom aluno é aquele interessado na busca pelo conhecimento e na transformação de ideias em projetos reais, com visão global da importância das atividades humanas no crescimento espiritual e material da sociedade”, diz o engenheiro Carlos Oscar Corrêa de Almeida Filho, professor do curso de engenharia mecânica da Universidade Presbiteriana Mackenzie. “Ele deve ter espírito de sacrifício para enfrentar os desafios profissionais constantes no desenvolvimento de máquinas e equipamentos”, completa.

Além das atividades profissionais específicas nas indústrias mecânicas, o professor lembra que os engenheiros mecânicos podem atuar em outros ramos profissionais, como consultorias e assessorias, instituições ligadas à pesquisa e no magistério.

Perfil do profissional
Sobre o mercado de trabalho, Almeida Filho destaca o perfil do profissional desejado pelas empresas: “Como em qualquer outra atividade, o mercado procura por profissionais capacitados com habilidades para trabalhar em equipe e a enfrentar novos desafios. O emprego estará garantido para o mais capaz.”

Para os próximos anos, conforme a situação econômica do País, a tendência do mercado de trabalho é de expansão para os engenheiros mecânicos. Entre as novas áreas promissoras estão a indústria naval e construção e manutenção de sondas, devido à exploração do petróleo da camada do pré-sal.

A ascensão profissional depende de cursos de espacialização e línguas estrangeiras, mas isso não basta.  “Cursos são necessários e o profissional, quando consciente de sua deficiência em alguma área específica, deve aceitar sem constrangimento participar de cursos em níveis inferiores à sua titulação para conhecer o conceito técnico básico e, com isso, ter maior flexibilidade e trânsito entre seus subordinados, fazendo-se entender na linguagem ‘chão de fábrica’”, ensina Almeida Filho.