Home > Carreiras > Engenharia Florestal > Carreira em Engenharia Florestal

Carreira em Engenharia Florestal

Gostar de preservar o meio ambiente é apenas o começo para atuar na área

por Marcus Lopes

A consciência de que é necessário preservar as florestas e promover o manejo sustentável dos recursos naturais brasileiros aumentam a importância da Engenharia Florestal. O engenheiro florestal é responsável por promover a exploração responsável das matas, recuperar áreas de matas degradadas, auxiliar tecnicamente na preservação de regiões protegidas e ajudar a aumentar a consciência ambiental da população.

É importante não confundir a engenharia florestal com militância ambiental. O profissional tem formação técnica específica e é responsável pela elaboração de laudos e pareceres técnicos específicos. Logo, gostar de preservar o meio ambiente não quer dizer que você, automaticamente, será um bom engenheiro florestal.

Como se dar bem na Engenharia Florestal

O coordenador do curso de Engenharia Florestal da Universidade de São Paulo, Geraldo Bortoletto Junior, coloca algumas atribuições necessárias para se tornar um bom engenheiro florestal:

  • Ampla capacitação técnico-científica voltada para a busca de soluções relativas ao manejo de recursos naturais, dos bem madeireiros e não-madeireiros e de sua industrialização;
  • Visão holística e ética dos múltiplos aspectos da sustentabilidade social, econômica, cultural e ambiental;
  • Aspecto de liderança e de empreendedorismo necessários ao desenvolvimento e a implantação de inovações tecnológicas;
  • Dedicar-se com afinco aos estudos e adquirir uma formação ampla e sólida.

O curso

O curso de Engenharia Florestal dura, em média, cinco anos e o currículo é dedicado às disciplinas agrárias e biológicas, tais como Botânica, Fisiologia Vegetal, Citologia, Tecnologia da Madeira e Silvicultura (planejamento, gerenciamento e supervisão dos processos de manejo das florestas). Muitos estudantes preferem abreviar a formação e fazem um curso técnico de silvicultura.

“É esperado dos candidatos à profissão um profundo respeito e apreciação pela natureza”, diz o professor Bortoletto, que lista outras atribuições necessárias dos estudantes:

  • Desejo de desenvolver uma sólida formação científica;
  • Impulso para a elaboração e administração de sistemas produtivos sustentáveis;
  • Aptidão para o trabalho em ambientes naturais;
  • Gosto pelo contato com diferentes grupos sociais e antropológicos nas atividades ligadas ao desenvolvimento sócio-econômico.

O mercado de trabalho

Segundo Bortoletto, o mercado de trabalho para engenheiros florestais cresce a cada ano, graças à maior consciência da população em relação ao manejo sustentável das matas. Os formados em Engenharia Florestal, segundo ele, encontram mercado de trabalho para desenvolver as suas atividades em propriedades rurais, empresas e indústrias de pequeno, médio e grande porte.

Podem trabalhar em organizações não-governamentais (ONGs), órgãos públicos ligados ao meio ambiente e instituições de ensino. Também podem atuar como consultores independentes a fazendeiros interessados em recuperar ou preservar matas em suas propriedades rurais, por exemplo.

Saiba mais sobre a carreira de engenheiro florestal no Mapa VAGAS de Carreiras.