Home > Carreiras > Engenharia de Automação e Controle > Engenharia de automação e controle

Engenharia de automação e controle

A profissão para quem gosta de tecnologia

por Marcus Lopes

O setor de engenharia passa por um período de grande modernização de seus processos produtivos. Recursos de robótica, inteligência artificial e comunicação digital já fazem parte do dia a dia da profissão nas mais diversas áreas. As universidades acompanham essas mudanças e oferecem novos cursos para acompanhar as mudanças cada vez mais rápidas na profissão de engenheiro.

Para quem deseja se dedicar às profissões do futuro, uma boa alternativa é o curso de engenharia de automação e controle. Trata-se de uma graduação que reúne disciplinas das áreas de mecânica, eletrônica, computação e produção.

A engenharia de automação e controle é uma modalidade ligada à ampliação dos meios de produção, principalmente no que se refere à modernização desses processos.

“No ambiente de crise em que vivemos, é uma das carreiras mais promissoras, porque as empresas precisam de ganhos de produtividade, que muitas vezes dependem diretamente da automação”, explica o professor Renato Giacomini, coordenador do curso de engenharia de automação e controle do Centro Universitário da FEI.

Segundo ele, as melhores oportunidades para os profissionais estão nas áreas de automação comercial e de serviços. O curso dura cinco anos e a grade curricular é extensa. No primeiro ano o aluno tem matérias básicas da engenharia, como cálculo, álgebra, química e física.

A partir do segundo ano começam as disciplinas mais específicas, como os laboratórios de automação, mecânica, circuitos elétricos e custos industriais. Nos últimos semestres a atividade em laboratórios é intensa e o aluno lida com assuntos bastante específicos, como teleprocessamento, instrumentação e redes industriais e inteligência artificial.

“Os alunos são pessoas com interesse na criação e controle de dispositivos, produtos e processos. É para quem gosta de tecnologia”, explica o professor Giacomini.

Formado, o aluno está apto para ocupar vagas nas seguintes áreas:

  • Projeto de máquinas e equipamentos industriais de alta tecnologia;
  • Projeto e aplicação de sistemas mecatrônicos;
  • Projetos de sistemas automotivos (controle de motores, freios ABS e suspensão ativa);
  • Projeto e desenvolvimento de robôs para aplicações domésticas e industriais;
  • Coordenação da automação de sistemas industriais.

De acordo com os especialistas, as boas oportunidades de mercado ainda se concentram na Região Sudeste, em especial no Estado de São Paulo. A tendência, porém, é que novas oportunidades surjam em outras regiões, acompanhando o processo de modernização da indústria brasileira. Independente da área ou região em que for atuar, é importante ao profissional saber se adequar às mais diversas situações de trabalho.

“Um bom profissional é a pessoa capaz de trabalhar em equipes multidisciplinares e que se interesse pelas diversas áreas da indústria e de serviços”, diz o coordenador da FEI.