Home > Carreiras > Educação Física > Educador físico: cuidando da saúde física e mental

Educador físico: cuidando da saúde física e mental

Saber lidar com a emoção das pessoas e suas expectativas é essencial

por Guss de Lucca

Existem profissões que surgem para suprir necessidades até então inexistentes. É o caso do educador físico, chamado hoje de personal trainer. Quando as pessoas viviam no campo, executando trabalhos braçais, não havia motivo para exercitar-se fora do serviço. Porém, a mesma modernidade que colocou-as atrás de mesas e computadores fez com que seus corpos (e mentes!) precisassem de atividades físicas para suportar o dia-a-dia nas grandes metrópoles.

Desse problema contemporâneo surgiram as academias e num segundo momento os personal trainers, educadores físicos que se dedicam exclusivamente a um aluno. Esse é o caso de Silvio Cabral, profissional que tem no currículo a apresentadora Sabrina Sato, o campeão de muaythay Thiago Teixeira e o modelo Murilo Castellani.

“A tarefa do personal trainer é montar um treino personalizado, direcionado para o objetivo daquele aluno – diferentemente do que ocorre na academia, onde um professor atende muitos alunos ao mesmo tempo”, explica ele, que divide seu tempo entre aulas como personal, instrutor de academia e colunista da revista Dieta Já!.

Lidando com emoções
Mas se engana quem pensa que o trabalho do personal trainer se resume a desenvolver uma rotina de treinos e administrar as cargas de cada aluno. Para Cabral é preciso saber lidar com a emoção das pessoas, que procuram por um profissional com muita expectativa.

“Muitos chegam achando que você vai logo deixá-los com o corpo sarado e acabam se frustrando. Um treino eficiente envolve disciplina, dieta e comprometimento. Tem aluno que diz ter lido que em apenas três semanas já terá resultados visíveis e isso não existe”, afirma. “Trabalho com a expectativa das pessoas. É difícil.”

Independente de gênero, Cabral acredita que o importante é educar o aluno quanto a importância da sequência de treino – algo mais fácil no público maduro. “O xis da questão não é treinar pesado, mas manter a regularidade. E apesar dos mais jovens serem mais dispostos, é o público mais velho que mostra mais comprometimento”, revela ele.

Malhando com famosos
Questionado sobre o trabalho com famosos, o personal aponta como maior dificuldade a adequação de horários. Foi por causa dessa inconstância que ele deixou de trabalhar para a apresentadora Sabrina Sato. “Eu tinha que desmarcar algumas aulas pra estar com ela e acabei perdendo alguns alunos – você tem que ficar meio à disposição. No fim precisei escolher e não dava pra ficar deixando outras pessoas na mão.”

Mesmo assim, o fato de ter treinado uma celebridade ainda atraí novos clientes – o que por um lado é bom, mas por outro torna-se um complicador. Não é incomum que alunas peçam a ele um corpo sarado como o da apresentadora – o que nem sempre é possível por conta da genética da pessoa.

“A maioria das pessoas pensa assim. Quando me procuram querem ficar com o super corpo da Sabrina. Mas aí entra a individualidade biológica. Uma menina muito baixinha e gordinha dificilmente vai ficar com aquela aparência, mas pode ficar parecida”, garante Cabral.

Estágios em academias
Aos interessados em ingressar nesse universo é preciso disposição para conciliar o estudo em Educação Física com estágios em academias, onde além de aprender o ofício o iniciante passa a criar sua clientela. “Os alunos notam quando você tem uma conduta ética e te indicam”, conta Cabral, que também aconselha aos futuros profissionais não palpitar sobre outras áreas.

“É preciso ser ético acima de tudo e não cair na cilada de fazer serviço de fisioterapia, passar dietas e indicar anabolizantes – personal não tem que mexer com suplementos a não ser que tenha formação em nutrição. Sua função é treinamento. Se o aluno precisa de apoio nutricional, manda pro nutricionista”.

Confira outras informações sobre o educador físico no Mapa VAGAS de Carreiras.

*O Dia do Educador Físico é comemorado em 1º de setembro.