Home > Carreiras > Design > Quality assurance: o cara que ganha para testar games

Quality assurance: o cara que ganha para testar games

Jovem procura erros e também verifica se os jogos são mesmo divertidos

por Fernanda Bottoni

Que tal passar o dia jogando e ainda receber salário no fim do mês? Pois é isso que Guilherme Dovadoni de Santana, 21,  faz. O jovem ganha para testar games, trabalhando como quality assurance na Flux Game Studio, empresa que desenvolve jogos e aplicativos para dispositivos móveis, websites, PC e consoles. Apesar de apaixonado pelo segmento, ele teve dúvidas sobre qual profissão seguir quando saiu do Ensino Médio e acabou escolhendo um curso de administração.

Depois de dois anos, no entanto, se convenceu de que aquilo não era para ele. Para pagar a faculdade, tinha começado a trabalhar, primeiro como estoquista de hipermercado e depois como consultor de qualidade em uma consultoria. “Eu ouvia ligações e monitorava a qualidade dos atendimentos, analisava as reclamações, mas não tinha contato direto com o cliente.”

Quando largou o curso, foi pesquisar como poderia trabalhar com games no Brasil. “Sempre foi minha paixão, desde criança”, conta. “Vi vários cursos de faculdade, mas, pelo que pesquisei, fazer graduação em games não é o melhor caminho porque os cursos são muito focados no design e não na arquitetura, como eu acho que deveriam ser.”  Sua estratégia, então, foi trabalhar por mais seis meses na consultoria para, depois, poder passar um tempo estudando por contra própria.

ganes testar

“Eu gosto de aprender sozinho, sempre fui assim, e sobre games existe muito material disponível para quem quer estudar”, afirma o jovem (foto ao lado).

Cursos gratuitos
Foi durante esse tempo de estudo que ele descobriu cursos livres de game designer e quality assurance da Casa Taiguara de Cultura Digital. Assim que terminou o curso, Santana começou a trabalhar e desde então é pago para testar todos os detalhes dos games. “Quando tem um jogo completo eu fico jogando e procurando erros, vendo se ele segue o propósito que deveria, se tem algum bug, se está divertido.”

Além disso, ele também é responsável por revisar todas as telas, desde o botão do menu até a de configurações para checar se os textos estão corretos e se os desenhos estão claros.

Agora, seu objetivo é pegar muita experiência em quality assurance  para, no futuro, poder trabalhar como game designer, que é o que ele quer fazer de verdade. “Também preciso estudar inglês e praticar muito porque nessa área a gente sempre precisa ler e trocar experiências com outros profissionais e a maioria só fala inglês.”