Home > Carreiras > Banco de Dados > Informática longe da crise

Informática longe da crise

Profissional dá dicas de como manter-se ativo no mercado de TI

por Guss de Lucca
fotos por Newton Santos

É inegável que na última década a área de tecnologia de informação continuou como uma das mais promissoras e abrangentes no mercado de trabalho. Dentro das diversas modalidades existentes nesse vasto campo, selecionamos o profissional de banco de dados Carlos Fernando dos Santos, bacharel em sistemas de informação, para falar um pouco do seu segmento.

Profissional de banco de dados Carlos Fernando dos Santos“Minha entrada para esse mundo aconteceu de forma curiosa. Eu estava na fila para me matricular no técnico em publicidade quando uma amiga que me acompanhava perguntou se eu não tinha mais afinidade com informática, o que era verdade, pois sempre gostei de jogos de videogame e essas coisas. Ali mesmo, na hora, me inscrevi no curso de processamento de dados”, recorda ele.

De acordo com Carlos logo nas primeiras semanas aquela se mostrou uma escolha certeira. Em menos de seis meses ele já estava programando em Cobol, linguagem que havia aprendido a pouco, no seu primeiro estágio na área de tecnologia.

Como ocorreu em sua matrícula, aos poucos a afinidade revelou-se novamente em sua vida, agora no que diz respeito ao segmento de banco de dados. “No curso técnico banco de dados era uma das matérias que mais despertava meu interesse e foi natural me envolver mais e mais com isso”, conta ele, que trabalha quase que exclusivamente com essa tecnologia.

“Eu gerencio, configuro e instalo o monitoramento do banco de dados, que a grosso modo consiste em qualquer conjunto de informações organizado de alguma forma. A diferença é que existem softwares que controlam essas informações – e minha função é garantir que elas estejam sempre disponíveis e seguras, seja qual for seu fim”, esclarece.

“Vamos supor que alguém necessite acessar essas informações muitas vezes durante o dia. É necessário criar um sistema que permita isso. Nesse caso dou suporte ao pessoal de desenvolvimento de sistemas, dizendo a eles como essa informação precisa ser processada”, completa Carlos, que vê na busca constante por informação a chave para quem quer ser bem sucedido em tecnologia da informação.

De acordo com ele, o maior desafio e grande diferencial do bom profissional é manter-se atualizado, pois nesse meio as coisas mudam muito rápido. Com base nisso Carlos acredita que o autodidatismo é a principal característica de um bom profissional de banco de dados e em qualquer segmento da tecnologia. Para ele o profissional que corre atrás de novidades e busca estar sempre atualizado não precisa se preocupar em conseguir espaço no mercado de TI.

“Falam em crise, mas eu não vejo isso aqui. Na empresa em que trabalho estamos com umas dez vagas abertas para especialistas em banco de dados, por exemplo, e não conseguimos preenchê-las porque os entrevistados até então não possuem perfil desejado”, revela. “Se você tem excelente qualificação não há crise que te abale. O importante é sempre buscar o que o mercado está pedindo e se especializar naquilo rapidamente. Os autoditadas sempre estão muito bem colocados”.

Confira mais informações sobre o profissional de banco de dados no Mapa VAGAS de Carreiras.