Home > Carreiras > Artes Cênicas > Nova locutora dá o tom em Congonhas

Nova locutora dá o tom em Congonhas

Voz de Ana Paula já ecoa dos alto-falantes do Santos Dumont também

por Heloisa Valente
fotos por Ailton de Oliveira

A locutora Ana Paula Aquino é a nova contratada da Infraero para padronizar o que se ouve nos alto-falantes dos terminais dos aeroportos de Santos Dumont (RJ) e de Congonhas (SP).  A ideia da empresa é inserir, nos próximos seis meses, a mesma voz nos 61 aeroportos que administra no País, além de incluí-la em mensagens de suas esperas telefônicas.

“É muito gratificante ser ouvida por pessoas do mundo todo e poder participar desse processo de criar uma nova identidade sonora para a marca”, diz Ana. Ela participou de uma seleção com mais de 60 candidatas e acredita que falar três idiomas (português, inglês e espanhol) com fluência foi determinante para a escolha.

Atriz por formação, já atuou em novelas e inúmeros comerciais de tevê e hoje empresta sua voz para anúncios publicitários e trabalhos institucionais, além de fazer tradução simultânea. Entre seus clientes fixos estão a marca Dove, com a qual trabalha há seis anos, e o canal HBO Family, onde faz as vinhetas da programação e anuncia as atrações há dez anos.

locutora Ana Paula Aquino congonhas infraero

Primeiras oportunidades
Ana iniciou na locução por acaso. “Estava em Nova York com uma companhia espanhola de teatro quando surgiram as primeiras oportunidades. Precisavam de uma pessoa que falasse bem o português para narrar um vídeo que mostrava a Amazônia e para fazer um programa sobre livros didáticos. Aceitei o desafio e a experiência acabou sendo aprimorada quando voltei ao Brasil”, conta.

Por aqui, começou a atividade na Rádio Pool FM, no início dos anos 1990. “O retorno dos ouvintes foi bem positivo e eu passei a investir na divulgação da voz, me aproximando de produtoras de comerciais, jingles e trilhas sonoras. Aos poucos o mercado publicitário e o de vídeos institucionais tornaram-se um amplo campo de trabalho.”

Apaixonada pelo o que faz, ela afirma que uma das coisas que mais a motiva na profissão é não ter rotina. “A cada dia estamos em um lugar novo, gravando com pessoas diferentes e falando de produtos/assuntos variados. Isso é sempre inspirador”, reflete.

Mercado tem de tudo um pouco
Sobre remuneração, ela pondera: “É um mercado que tem de tudo um pouco. Muita gente boa ganhando bem e muitos outros trabalhando muito para poder sobreviver”. Segundo a locutora, o tipo de mídia também influencia nos ganhos – e a televisão costuma oferecer os melhores cachês.

Em sua opinião, um ponto desfavorável da profissão é a falta de estabilidade. Como a maioria dos locutores trabalha como freelancers, acaba não recebendo benefícios como férias e 13º salário. “Por isso, o grande investimento deve ser na boa formação, no conhecimento de idiomas e no aperfeiçoamento do trabalho. Com isso, oportunidades não devem faltar”, acredita.

*Confira o cargo de locutor no Mapa VAGAS de Carreiras.