Home > Carreiras > Arquitetura e Urbanismo > Arquiteto e urbanista, um profissional versátil

Arquiteto e urbanista, um profissional versátil

Transdisciplinaridade marca a profissão e campo de trabalho é amplo

por Marcus Lopes

Um profissional versátil, que aplica na sua profissão os conhecimentos das ciências humanas e exatas. Apto a projetar e organizar espaços internos e externos de acordo com a funcionalidade, estética e conforto, o campo de trabalho do arquiteto e urbanista no Brasil é bastante amplo. Seu campo de atuação vai do planejamento e decoração de interiores até a requalificação urbana de cidades inteiras.

“É importante que o arquiteto e urbanista seja um profissional que possa transitar entre diferentes áreas do conhecimento, tendo em vista a transdisciplinaridade da profissão. Um profissional que tenha um domínio técnico adequado, mas que, ao mesmo tempo, apresente uma postura crítica e propositiva, que permita reverter para a sociedade o conhecimento adquirido”, explica a arquiteta Lúcia Shimbo, professora do Instituto de Arquitetura e Urbanismo (IAU) da Universidade de São Paulo (USP), campus de São Carlos.

“Portanto, o curso de arquitetura demanda um aluno familiarizado não só com conceitos básicos de física e matemática, mas também com noções relativas à contemporaneidade e à concepção do espaço”, completa a docente da USP, que também é vice-presidente da Comissão de Graduação do IAU de São Carlos.

Com duração média de dez semestres, o curso de arquitetura mescla disciplinas ligadas às áreas de engenharia, história e planejamento. Entre elas, tecnologia das construções, conforto ambiental, cálculo, projeto, história da arquitetura, planejamento urbano e regional e paisagismo. Os dois primeiros anos são bastante teóricos, mas, a partir daí, o aluno passa a frequentar diversas aulas práticas em estúdios e laboratórios universitários.

Formado, ele pode trabalhar como autônomo ou em um escritório de arquitetura. O jovem arquiteto pode desenvolver e acompanhar projetos privados de reformas e construções, paisagismo e arquitetura de interiores. Grandes empresas, como construtoras, também absorvem um grande número de profissionais.

Ao lado do engenheiro civil, o arquiteto acompanha a construção e gerenciamento dos custos e a mão de obra da edificação. Sua participação aumenta principalmente nos estágios finais da construção. Algumas áreas, como construções hospitalares, possuem arquitetos especializados.

Na esfera pública, ele pode atuar no desenvolvimento de projetos de revitalização urbana, como centros históricos degradados, escolas, hospitais, construção de conjuntos residenciais e avaliação de impactos ambientais. A recuperação de edifícios históricos, públicos e privados, é outra atividade em ascensão, em especial nas grandes metrópoles e cidades históricas.

Assim como a engenharia civil, a arquitetura foi beneficiada pelo bom momento do mercado imobiliário no País. Programas habitacionais e grandes obras de infraestrutura também ampliam o mercado para arquitetos e urbanistas no setor público.