Home > Carreiras > Agronomia > Agronomia. Como é trabalhar na área?

Agronomia. Como é trabalhar na área?

Confira as características para ser um bom profissional do setor

por Marcus Lopes

O setor agrícola brasileiro é responsável por boa parte do Produto Interno Bruto (PIB) nacional. O país é um grande exportador de commodities e a atividade no campo é altamente especializada e uma das mais avançadas do mundo, com grande utilização de tecnologia. No momento, o grande desafio é compatibilizar as necessidades de produção do mercado com técnicas ambientalmente corretas e que não agridam a natureza.

Outra característica nacional é que as propriedades rurais são muito heterogêneas, com unidades empresariais especializadas convivendo, lado a lado, com unidades de produção familiares, cada uma delas apresentando condições tecnológicas, econômicas e sociais distintas.

Diante de tudo isso, há um grande mercado para os agrônomos. Para quem busca as melhores oportunidades, o ideal é cursar a faculdade de agronomia ou um curso técnico agrícola (tecnólogo) oferecido por diversas instituições, inclusive federais, em várias cidades.

O curso
O curso superior de agronomia dura, em média, cinco anos e prepara o aluno para todas as esferas de produção e distribuição agrícola – segmentos de produção de alimentos, insumos, transporte, distribuição, beneficiamento e armazenamento de grãos, controle de qualidade etc. Ele também pode atuar na irrigação, administração de empresas agrícolas, pesquisas e biotecnologia.

“Muitas propriedades rurais, de média e grande extensão, ainda não perceberam a importância fundamental de ter um agrônomo. Existe carência de profissionais com experiência em certificação e hortifrutigranjeiros”, explica o professor da Universidade Estadual Paulista (Unesp), Leandro José Grava de Godoy.

O profissional
Segundo ele, algumas características são fundamentais para o bom profissional da área: boa base teórica, experiência através de estágios, muita disposição, conhecimento de informática, ótima capacidade de gerenciamento, línguas (inglês) e boa capacidade de comunicação.

Nos primeiros quatro semestres o aluno vai estudar as disciplinas básicas, como matemática, química, estatística, biologia e bioquímica. Nos semestres seguintes começam as matérias profissionalizantes, como ciência do solo, horticultura e entomologia. Também há aulas práticas em laboratórios e fazendas experimentais.

O mercado
O mercado de trabalho, como ocorre em outras profissões, segue a tendência da economia no momento. “Aparentemente há certa saturação no Estado de São Paulo, onde a concorrência é maior, mas há oportunidades em outros estados, principalmente no centro-oeste e no sul do país”, diz o professor da Unesp.

As oportunidades não se resumem ao campo. Nas cidades, o agrônomo pode atuar em diversos segmentos de distribuição de produtos (como os entrepostos, por exemplo), consultorias a empresas ligadas ao setor agrícola e universidades.

A exigência crescente da população em relação aos alimentos consumidos também tem criado oportunidades, como o mercado de produtos orgânicos. A boa posição do Brasil na produção e pesquisa de biocombustíveis também abre novas frentes de trabalho.

Confira mais informações sobre a carreira em agronomia no Mapa VAGAS de Carreiras.