Home > Carreiras > Administração > Versatilidade marca trabalho do auxiliar administrativo

Versatilidade marca trabalho do auxiliar administrativo

Maior hub do Mapa VAGAS de Carreiras, profissão é trampolim para cargos

por Guss de Lucca
fotos por Newton Santos

O que faz um auxiliar administrativo até que é uma pergunta simples: ele presta assistência com foco na administração de uma empresa ou negócio. A questão é em quais áreas esse funcionário “genérico” pode atuar? Muitas, de acordo com o Mapa VAGAS de Carreiras, serviço gratuito da VAGAS.com que permite ao usuário pesquisar informações de mais de seis mil cargos. O assistente ou auxiliar administrativo funciona na maioria das vezes como um trampolim para posições superiores, seja dentro de uma multinacional, de uma agência de publicidade ou até mesmo de um quartel.

Aos 25 anos, Giovane Casagrande trabalha na área administrativa da Universidade Anhanguera de São Paulo. Como auxiliar administrativo é ele quem cuida da elaboração de planos de estudos, requerimentos, expedição de diplomas e demais rotinas relacionadas ao sistema financeiro e atendimento aos alunos.

“Fiz o caminho contrário do que se imagina. Primeiro comecei a trabalhar na área administrativa, na unidade da universidade em Campinas, para depois ingressar no curso de administração – que acabei transferindo para gestão financeira para adequar com meu horário”, conta ele, que sempre gostou de lidar com números e acredita ter descoberto sua vocação.

Força de vontade
Atualmente cursando o último semestre de Gestão Financeira na instituição, Casagrande acredita que o bom auxiliar precisa ter força de vontade e mostrar interesse em aprender todos os serviços que envolvem a área administrativa. No caso dele, isso inclui saber atender os alunos e entender quais informações transmitir a eles – o que, às vezes, pode até resultar em ameaças.

“No período em que trabalhei em Campinas só eu tinha a senha para alterar as notas dos alunos e um deles escreveu uma carta me ameaçando caso não aumentasse as dele. Mas logo reconhecemos o estudante e não deu em nada. Por isso digo que precisa ser um psicológico muito bom”, brinca ele, que também enxerga a posição de auxiliar como um cargo de transição – sua meta é tornar-se secretário acadêmico.

“Entrei cuidando apenas do atendimento, depois fui lidar com a área de diplomas e atualmente estou no controle acadêmico. Mas o foco é a posição de secretário, que é o líder da equipe do departamento de controle acadêmico, responsável por acompanhar todas as rotinas”, explica ele, que atualmente responde para uma secretária acadêmica que chefia treze funcionários de seu setor.