Home > Acontece > Acontece no Mercado > Trabalhar nestes países é coisa de primeiro mundo

Trabalhar nestes países é coisa de primeiro mundo

por Flavia Pegorin

Se você fizesse uma lista das coisas que deve considerar para procurar um emprego, o que colocaria? Condições para a licença de maternidade? Quantidade de dias de férias? Salário é só o que importa? Pois então, no topo da lista, pode começar pelo item crucial: qual o país onde você acharia seu emprego dos sonhos?

As estatísticas que podem ajudar nessa hora vêm da Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico – a OCDE –, que leva em conta fatores de bem-estar, como taxas de renda e emprego, equilíbrio entre emprego e vida pessoal ou a segurança e o apoio à saúde para elencar diversos países. Abaixo, o último ranking da OCDE dos melhores países para trabalhar (e viver tranquilo e criar as crianças e estar seguro e ganhando bem e tudo o mais).

10. Reino Unido:  Os cidadãos do Reino Unido têm uma renda confortável e uma taxa acima da média em emprego. O Reino Unido sempre é bem classificado especialmente na escala comunitária – o que significa que os britânicos são pessoas não centradas apenas no trabalho, mas na comunidade.

9. Islândia: Pode parecer apenas uma ilha distante e gelada, mas a verdade é que o povo islandês é grande defensor do meio ambiente – e dentro de casa ou no trabalho preocupa-se muito com reciclagem, água limpa, ar puro e energia renovável. As pessoas na Islândia também têm alto nível de educação, com um maior grau de alfabetização do que a média da OCDE.

8. Holanda: É o destino perfeito para quem privilegia o dever. Nesse quesito, as pessoas na Holanda realmente sabem mostrar trabalho. Sobre as questões governamentais, por exemplo, eles são os mais patrióticos. Na Holanda, onde o voto não é obrigatório, 88% das pessoas vão às urnas.

7. Dinamarca: Se você sente que gasta tempo demais no trabalho e deseja mais horas para desfrutar a vida, a Dinamarca é o lugar. Com alto nível de satisfação pessoal, ambiente limpo e segurança, os dinamarqueses têm o melhor do bem-estar. E um incrível equilíbrio de vida: apenas 2% dos dinamarqueses relataram trabalhar além das horas em contrato.

6. Estados Unidos: Seu papo é dinheiro mesmo, sem delongas? Bem, quando se trata de renda pessoal, ninguém é páreo para os Estados Unidos. Lá, a renda média das famílias é 38 mil dólares por ano. E mais dinheiro significa mais gastos, o que sempre estabelece os EUA como um gigante econômico.

5. Suíça: Ser suíço é uma moleza – com um país que apresenta taxa de emprego fantástico, tem  alto sentimento de comunidade, impressionante classificação de saúde e pontuação 10 para satisfação de vida. Eles perdem pontos no engajamento cívico (mas vai ver é porque todos estão tão contentes que simplesmente não sentem que precisam mudar nada no governo…).

4. Noruega: Procurando emprego no momento? Você provavelmente pode encontrá-lo na Noruega. Lá, 75% da população em idade ativa tem um trabalho remunerado. A segurança de permanecer no emprego é alta, desemprego de longa duração é raro e os ganhos médios são confortáveis. E noruegueses ainda pontuam bem nos quesitos de vida pessoal. Fora a linda paisagem…

3. Canadá: É um dos lugares mais seguros entre os países membros da OCDE (e do resto do mundo). Apenas 1,3% dos canadenses foi vítima de agressão em 2013 – e quando se trata de algo tão simples quanto um passeio à noite, por exemplo, 81% das pessoas dizem se sentir tranquilas para fazer isso. A expectativa de vida é de 81 anos – e o governo cuida bem da saúde dos trabalhadores.

2. Suécia: É o país ideal para quem aprecia estudar – com média 10% superior aos demais países na formação de segundo grau. A Suécia, aparentemente, só ficou com o segundo lugar na lista porque não se classifica em primeiro em todos os quesitos considerados (mas não é ótimo ser quase perfeito em tudo, como engajamento social e cívico, alto nível de satisfação com a vida, ótimo ambiente para trabalhar?). Imigrantes espertos preferem a Suécia.

1. Austrália: Se você deseja mudar e conquistar uma vida profissional e pessoal incrível, olho no canto inferior do mapa-múndi. Na Austrália, a expectativa de vida é de 82 anos. Australianos são mais envolvidos com o seu governo do que gente de qualquer outro país. Não se engane com o visual das prais e os surfistas – lá se trabalha duro (tanto que o equilíbrio trabalho-vida é menor do que na maioria dos países no top 10 da lista da OCDE). Níveis de habitação, educação, renda e emprego colocam a Austrália no topo da lista.