Home > Acontece > Acontece > Acontece no Mercado > Posts inadequados podem impedir candidato de conseguir emprego

Posts inadequados podem impedir candidato de conseguir emprego

Entenda por que você precisa tomar cuidado com o que publica e com a forma como expressa suas opiniões

Quem quer conseguir emprego precisa ficar ativo nas redes sociais para ser lembrado e manter o networking vivo. No entanto, quem está disputando processos seletivos cada vez mais precisa tomar cuidado com suas publicações, incluindo as causas que apoia, os memes que compartilha, os comentários que faz. No Brasil, falar sobre política, futebol ou religião é praticamente sinônimo de provocar discussões. E, quando você está em busca de emprego, a forma como você expõe suas opiniões e se posiciona nessas discussões pode prejudicar a imagem que você passa aos recrutadores e potenciais gestores.

Para quem acha isso tudo um exagero, o site internacional The Muse listou 8 posts reais que eliminaram candidatos  em alguma etapa do processo seletivo. Entre eles, está um em que o candidato argumentava agressivamente durante as eleições presidenciais dos Estados Unidos. A equipe que estava considerando contratá-lo repensou a ideia por achar que ele não lidava bem com diversidade de opiniões, o que não cabia bem à posição de coordenador de transações que ele estava disputando.

Tais Cundari, sócia-consultora especialista dos setores de Atacado e Varejo da FESA Group, especializada em recrutamento para posições C-Level, afirma que embora os recrutadores não tenham o hábito de olhar as redes sociais de todos os candidatos, há muitos casos em que no final processo, quando restam 2 ou 3 deles, o próprio cliente confere os perfis para obter mais informações sobre cada um. “É fato que um profissional pode perder a chance de ser contratado ou efetivado em uma empresa por algum conteúdo inadequado que tenha postado ou compartilhado”, afirma.

Política e futebol: assuntos arriscados para quem quer conseguir emprego

Segundo a especialista, não significa que você não possa opinar ou participar das discussões. “O problema é que as pessoas acabam argumentando de forma agressiva em política, por exemplo”, diz ela. “Você pode manifestar sua opinião, mas de forma respeitosa, justificando o que pensa com cuidado para não ofender ou agredir quem pensa de outra forma.”

Futebol também é um tema polêmico que muitas vezes faz as pessoas perderem a compostura e até a educação. Mensagens raivosas postadas no Twitter durante jogos já fizeram executivos perderem o emprego aqui mesmo no Brasil. Aconteceu em 2010 com o ex-diretor comercial da Locaweb, Alex Glikas, corintiano roxo que publicou mensagens contra o São Paulo Futebol Clube.

E aconteceu também em março deste ano, quando o torcedor do Flamengo Reginaldo Guilarducci foi demitido depois de xingar Mauro Cezar Pereira, comentarista da ESPN e blogueiro do UOL Esporte no Twitter. O próprio comentarista chamou a atenção da empresa em que o torcedor trabalhava, já que informação estava pública em seu perfil. Ele escreveu citando a ArcelorMittal: “Lá na empresa eles estimulam os funcionários a xingar as pessoas pura e simplesmente por discordar em algo sobre futebol?”.

Outro cuidado a ser tomado é com o que suas postagens dizem sobre seus valores e sua ética. Se um recrutador ou potencial gestor se deparar com algum comentário que indique que você não é ético na vida pessoal, possivelmente ele vá se perguntar como você se comportaria na empresa. “Essa dúvida com certeza pode prejudicar o profissional em muitas candidaturas, principalmente para cargos mais sensíveis a esses questionamentos, como área financeira ou compras”, afirma Tais.

De modo geral, o recado é tomar muito cuidado com as redes sociais e a maneira como você expõe o que pensa. E caso de dúvida, confira como preparar seu perfil para a espiada do recrutador.

Cadastre seu currículo no VAGAS.com.br e aproveite inúmeras oportunidades de emprego.