Home > Acontece > Acontece no Mercado > Pesquisa revela quais são as empresas dos sonhos dos jovens

Pesquisa revela quais são as empresas dos sonhos dos jovens

Por Fabíola Lago

Há 12 anos a Cia de Talentos, consultoria com foco em estagiários e trainees, em parceria com a Nextview People, realiza a pesquisa “Empresa dos Sonhos”. O objetivo é compreender quais são os anseios e expectativas dos jovens em relação ao mercado de trabalho, o que valorizam nas empresas e como projetam suas lideranças.

Dos 52 mil participantes, somente 40% disseram ter alguma empresa no campo ideal para se trabalhar. Pela sétima vez, a Petrobras está no topo da lista, que ficou assim:

Empresas do sonho

Segundo os participantes, a escolha foi baseada em palestras dessas organizações, presença nas redes sociais, publicidade e matérias veiculadas na imprensa.

A novidade nos critérios para o novo emprego é a inovação: 24% querem espaço para desenvolver novas ideias na própria empresa. A reputação da companhia é importante para 32% e 46% esperam desenvolver-se profissionalmente. “Como consumidor, o jovem sabe que se uma empresa não oferecer novidades deixará de ser uma marca interessante. Além disso, hoje ele é mais cobrado por inovação e sente que o profissional que inova é mais admirado e reconhecido”, diz a sócia da Nextview People, Danilca Galdini, sobre esse novo requisito.

O que querem dos líderes? Paixão, conhecimento técnico, proximidade “sem confundir com amizade”, que saiba delegar, respeitar as particularidades de cada um. Confiança e suporte quando necessário. Planos de desenvolvimento são bem vistos, tais como pós-graduação, coaching, treinamentos gratuitos e job rotation.

Sobre líderes e promoção

Mais da metade não elegeu nenhuma liderança como modelo. Os 46% restantes escolheram:

Líder mundial mais admirado

As características mais admiradas são “empreendedorismo e inovação” (26%), “características pessoais” (18%), “visão sistêmica” (14%) e “causas e valores” (13%).

Outra percepção interessante da pesquisa é sobre a expectativa de promoção: os jovens apontam 18 meses (no máximo) para subir na carreira; já as empresas acreditam que é preciso, no mínimo, de dois a três anos. A avaliação é que recém formados ainda estão acostumados a projetos de curto prazo; portanto, têm expectativa de assumir novos projetos em menos tempo.

Tempo ideal no mesmo cargo

Tempo ideal no mesmo cargo

Danilca comenta esta constatação:

“Tempo tem sido visto pelos jovens quase como inimigo, gerando uma ansiedade de conquistar tudo num curto espaço. Uma reflexão é que eles pensem na construção de sua carreira e se não estão perdendo com essa afobação. As empresas estão preocupadas em entender esse jovem, mas ainda falta um caminho a percorrer.”

Para mais detalhes sobre esta edição da pesquisa, assista o vídeo da Cia de Talentos. Confira os resultados na íntegra no site da consultoria.