Home > Acontece > Acontece no Mercado > Perder o emprego não é sinônimo de incompetência

Perder o emprego não é sinônimo de incompetência

7 fatos que todo desempregado precisa conhecer para recomeçar

por João Xavier*     

Perder o emprego é uma das piores perdas que um ser humano pode sofrer. Quem já passou por isso conhece bem essa sensação… Há, no entanto, algumas coisas que todo desempregado precisa saber para superar esse momento. Para ajudar quem precisa vencer esse desafio criei esta pequena lista.

Perder o emprego: o que você precisa saber

1. Não se trata de incompetência

Foi-se o tempo em que demissão era sinônimo de incompetência. Hoje perder o emprego, é sinônimo de reestruturação. Antes da criação do FGTS, as empresas só podiam demitir por justa causa. Portanto, apenas incompetentes e criadores de problema eram demitidos.

E essa “visão”, infelizmente, continua arraigada no inconsciente dos profissionais, especialmente os mais velhos. É preciso entender que a demissão ocorre em consequência da alta competitividade das empresas e da rápida transformação tecnológica.

2. O tempo é diferente para você

Se você está desempregado, precisa entender que sua percepção de tempo é bem diferente da percepção dos que estão trabalhando e, principalmente, recrutando. Quando estamos no trabalho, o tempo voa. Piscamos e já é hora do almoço, de repente já é hora de ir embora. Uma semana passa muito rápido. Para quem está procurando emprego, um dia parece uma eternidade.

E, quando falo de processos seletivos, a coisa é ainda pior. As vagas são congeladas, canceladas, retomadas. Às vezes é preciso conciliar agenda de gerentes e diretores para as entrevistas, o requisitante fica inseguro e pede por mais candidatos para comparar melhor – sem perceber que quanto mais candidatos houver, mais confuso o processo ficará – e assim os dias e as semanas vão passando e a espera do candidato por um retorno parece interminável.

3. Empresas procuram perfis específicos

Não caia na armadilha de questionar suas competências se perder o emprego. Lembre-se de que as empresas procuram por posições específicas – querem uma pessoa igualzinha àquela que ocupava a posição. Os gestores pensam a empresa como uma engrenagem e querem uma peça idêntica. A empresa não quer gastar dinheiro com treinamento, adaptação, programas de integração – o profissional já tem que entrar jogando.

4. Recrutadores também erram

Durante o processo seletivo, você é avaliado por recrutadores, muitas vezes juniores (principalmente na triagem de currículos), que têm pouco tempo, muita gente para avaliar ainda carregam a grande responsabilidade de não errar.

O “erro” que não pode acontecer é o de contratar a pessoa errada, porque isso gerará custos (dinheiro perdido com treinamento e integração) e retrabalho. No entanto, se o recrutador errar excluindo um(a) bom (boa) profissional, ninguém nunca saberá. Dá para imaginar o tamanho do filtro utilizado no trabalho de seleção?

5. Procurar trabalho é trabalho

Não se sinta desprezado e leve muito a sério a busca por trabalho. Hoje são muitos os sites para cadastrar currículos, são muitos os questionários, são muitas informações disponíveis na internet. Frequente eventos, seminários, congressos da sua área e toda e qualquer oportunidade de ampliar sua rede de relacionamentos.

Valem inclusive igreja, associações, grupos de estudo, ex-colegas de faculdade. Crie uma rotina e dedique “x” horas do seu dia para a procura de emprego. Crie também uma rotina de exercícios e tempo em família e, principalmente, aproveite para fazer trabalhos voluntários.

6. A família toda também está vivendo esse processo

Saiba que não está sozinho nesta jornada, todos aqueles que gostam de você estão juntos nessa empreitada. A família precisa tomar consciência do seu momento para diminuir os gastos, respeitar seu tempo aplicado à busca e até mesmo ajudá-lo na procura.

7. Diferença entre trabalho e emprego

É importante sabermos a diferença entre esses conceitos porque cada vez mais o emprego tradicional, aquele no formato da CLT, vem perdendo espaço para o trabalho pontual, por projetos. Não despreze esse segundo formato.

 

Cadastre seu currículo no VAGAS.com.br e aproveite inúmeras oportunidades de emprego. Se você já tem um cadastro, atualize-o aqui.

 

*João Xavier é diretor-geral da empresa de recrutamento Ricardo Xavier.