Home > Acontece > Acontece no Mercado > Nove em cada 10 pessoas trabalhariam sem chefes!

Nove em cada 10 pessoas trabalhariam sem chefes!

Por Fabíola Lago

chefes_verticalJá que ficamos um terço de nossas vidas no local de trabalho, nada mais justo do que entender esse ambiente que tem tanta importância em nossa vida. Boa parte desse clima depende da relação com superiores: é seu comportamento que pode “tocar o terror” ou animar todo mundo para obter os melhores resultados. Por isso mesmo, a VAGAS criou a enquete Retrato dos Chefes no Brasil. Realizada entre os dias 8 e 15 de julho, contou com a incrível participação de mais de 11 mil pessoas e revelou aspectos muito interessantes sobre a avaliação que as pessoas fazem de seus chefes e como andam os ambientes dentro das empresas.

Por exemplo, apesar do alto índice de pessoas que afirmam poder trabalhar sem chefe (91%), 70% avaliam que seu superior merecem seu respeito e 57% que eles defendem a equipe. No entanto, 40% não recomendaria alguém para trabalhar com eles. E 29% dizem claramente que não gostam de seus chefes.
Das pessoas que curtem ter um superior, 35% acham que seu papel é de desenvolvimento e 33%, porque o trabalho necessita de uma autoridade.

O perfil campeão foi o do “Bipolar” com 30% dos votos.  Um terço deles se encontram em cargos de alta gestão. Ou seja, é empresário, presidente, vice-presidente ou diretor. E quanto mais alta a posição, maior é seu impacto negativo sobre a galera: não reconhecem seu erros, não se comportam como adultos, não dão um feedback considerado honesto e não são considerados um “exemplo”.

O “Visionário”, de perfil positivo, teve 12% da escolha dos internautas. O cara é bom, mas ainda merece atenção no que diz respeito à sua transparência, reconhecimento de seus erros e ter mais confiança na equipe. Chefe , Amigo mesmo, ficou perto, com 13% e costuma fica mais próximo da galera, no que foi classificado como gestão 1 e 2 (gerência e coordenação) e compõe 68% dos chefes avaliados do levantamento. A melhoria necessária segundo os participantes é reconhecer os próprios erros. Aliás, problema apontado em todos os perfis.

No geral, outros dados que nos chamaram atenção é que 50% das pessoas que possuem chefes com mudanças repentinas de humor, pensam em pedir demissão por causa deles. A cobrança de metas impossíveis é outro percentual preocupante, apontado por 45% dos participantes da enquete. Você pode conferir esses e outras dezenas de números interessantes da enquete na nossa sala de imprensa. Veja também a repercussão na mídia: