Home > Acontece > Acontece no Mercado > Novas tecnologias definem o futuro do RH

Novas tecnologias definem o futuro do RH

por Fernando Porto

As novas tecnologias digitais permitirão maior integração e flexibilidade, possibilitando aos colaboradores mais participação e capacidade para criar suas próprias experiências de trabalho. A conclusão é de Sandra Gioffi, líder da área de T&OP – Talent & Organization Performance da Accenture, uma empresa global de consultoria de gestão, serviços de tecnologia e outsourcing. Seu parecer se baseia em pesquisa recente da Accenture, que mostra também uma mudança definitiva do conceito de RH como é conhecido na atualidade.

Sandra destaca, dentre essas mudanças que transformarão os Recursos Humanos, a descentralização da gestão de talentos “que deverá ser incorporada na estrutura e no dia a dia dos negócios, o que irá mudar definitivamente o conceito de RH que conhecemos atualmente”. O estudo aponta que os novos talentos da equipe podem gerenciar mais sua carreira, o que inclui a possibilidade de uso de games em muitos estágios do processo de gestão de RH (recrutamento, treinamento, busca por talentos e gerenciamento de performance).

“O ambiente digital tende a modificar radicalmente a área de RH nos próximos 10 anos e redefinirá o futuro dessa atividade, a qual deverá ter seus processos específicos diluídos, passando a atuar de forma mais integrada com outras áreas, como a de TI, por exemplo”, prossegue a análise de Sandra.

Disruptura, uma nova palavra nos dicionários

Essa constante inovação transformadora no ambiente de trabalho traz uma nova palavra nos dicionários tradicionais: a disruptura digital, um termo que teve origem a partir do best-seller “Digital Disruptive”, do pesquisador James McQuivey, da Forrester Research. Segundo ele, esse impacto tecnológico, da era dos dispositivos, proporciona transformações disruptivas, com as quais o profissional se torna mais independente na gestão de sua carreira.

Na previsão da Accenture, cinco tendências irão transformar a área de Recursos Humanos:

1) Dados e integração serão soberanos;

2) O digital dará poder e capacidade de gerenciamento às pessoas;

3) Aplicativos para gerenciar perfis encontrarão espaço nas empresas;

4) Digital irá permitir a gestão personalizada de talentos;

5) Cloud computing irá permitir maior flexibilidade e agilidade de gestão.

Para o negócio, segundo a consultoria, os impactos principais da disruptura digital transformarão a gestão de talentos em uma atividade diária para cada empregado e cada gerente. Além disso, a informação e a tomada de decisões migrarão para os colaboradores. A consequência é que os processos de gestão de pessoas irão resultar em melhores serviços para o negócio e as práticas para talentos irão desempenhar um papel mais importante nas capacidades estratégicas das empresas.

Diante dessa transformação nos negócios, os pesquisadores do Accenture Institute of High Performance redefiniram da seguinte forma a nova área de RH:
1) Estrutura e dimensão serão redefinidas. Os profissionais de RH deixarão de executar algumas de suas funções atuais, passando a atuar mais próximos de outras áreas.

2) A atividade principal será transformada. O RH deverá incorporar outras habilidades, como marketing, ampliando sua presença em diferentes áreas da empresa e reduzindo sua atuação específica como conhecemos hoje (parte delas, transferida para os próprios empregados, com apoio de ferramentas como games, por exemplo).  “Com isso, terá capacidades para analisar dados de colaboradores e desenvolver ofertas e ações customizadas aos talentos, além de educar os colaboradores com relação aos processos envolvendo recursos humanos e talentos.”

3) Os profissionais de RH serão capacitados para avaliar e gerenciar aplicativos externos e para construir interfaces entre eles, os dados que gerarem e os sistemas próprios da organização.

A íntegra da pesquisa pode ser acessada (em inglês) neste link.