Home > Acontece > Acontece no Mercado > FGV foca em inovação e capacidade de adaptação

FGV foca em inovação e capacidade de adaptação

Cursos de curta duração atendem requisitos do mercado de administração

por Guss de Lucca
Oferecimento: FGV

Uma das áreas mais abrangentes do mercado de trabalho, a administração é proporcionalmente exigente no que diz respeito a atualização de seus profissionais, que muitas vezes encontram dificuldade para conciliar o trabalho com estudos que colaborem para o crescimento dentro de seus segmentos.

Apesar da dificuldade em especificar o que se espera do profissional de administração, o coordenador acadêmico do Programa de Educação Continuada da Fundação Getulio Vargas  (PEC-FGV), Carlos Osmar Bertero, acredita que a capacidade de adaptar-se aos novos tempos dite a tônica do mercado – algo presente nos mais de 50 cursos semestrais oferecidos pela instituição.

“É difícil fazer esse tipo de generalização. O que se espera também varia de área para área, mas acredito que hoje a palavra de ordem seja inovação”, diz o professor. “O mundo empresarial tem sido brutalmente inovador. Tudo o que temos, essas transformações tecnológicas, vieram de empresas – e não teriam ocorrido se não houvesse capacidade e competência para bem geri-las”, completa.

Interdisciplinaridade
Bertero ressalta a interdisciplinaridade do programa da FGV, distribuído entre 14 áreas de conhecimento como Administração Geral e Estratégia, Comunicação, Marketing e Vendas, Sustentabilidade, Meio Ambiente e Terceiro Setor.

“Como centro em educação executiva, acreditamos prestar um serviço oferecendo cursos a pessoas em processo de ascensão na vida profissional. Eles podem não estar em posições que lidem exatamente com os exercícios que o curso aborda, mas estão se preparando para isso”, diz o coordenador, que também leciona no curso de Gestão Estratégica de Negócios e por isso tem contato direto com os alunos.

“O público de administração é heterogêneo. Recebemos desde jovens que buscam complementação e não querem embarcar num curso mais longo, como um MBA, até profissionais maduros, com experiência acumulada, mas acham que é interessante frequentar aulas sistemáticas. Muitos não tiveram uma formação escolar em administração, mas se fizeram na prática administrativa e empreendedora”, conta.

Além da oportunidade de atualização oferecida pelos programas do PEC-FGV, que fornecem informações sobre práticas recentes adotadas com sucesso em empresas em atividade – as “boas práticas em administração” -, Bertero acredita que outro grande atrativo está no networking. “Você encontra colegas de outras empresas, de outros ramos de atividade e isso colabora para o aumento de sua rede social.”