Home > Acontece > Acontece no Mercado > FGV: cursos de comunicação, marketing e vendas

FGV: cursos de comunicação, marketing e vendas

Programa de educação executiva é voltado a profissionais com pouco tempo

por Guss de Lucca
Oferecimento: FGV

Manter-se informado é mais que obrigação para profissionais que querem crescer em mercados competitivos como os de comunicação, marketing e vendas, onde todo diferencial representa uma vantagem diante de seus pares. Ciente de que nessas áreas as mudanças são rápidas, o FGV Management, programa de educação executiva da Fundação Getulio Vargas, oferece uma série de cursos objetivos voltados a profissionais que têm muita determinação e pouco tempo para realizar seus objetivos.

Coordenador Acadêmico e professor da FGV desde 1984, Luiz Roberto Carnier atua diretamente com os cursos de comunicação, marketing e vendas do Programa de Educação Continuada (PEC) para executivos interessados em aprimoramento profissional. “São mais de dez cursos dirigidos com carga de 60 horas, com 15 aulas semanais. São programas rápidos, em que aquilo que é ensinado à noite você pode usar no dia seguinte”, explica Carnier, que coordena diretamente o curso de Inovação no Relacionamento e Fidelização Sustentável de Clientes.

“É um programa com temas muito dirigidos para quem cuida de relacionamento com clientes, como profissionais de cartões de crédito e programas de fidelidade. Os alunos, que em geral são de nível de gerência média, já chegam com perguntas do dia a dia e acabam usando as aulas como uma consultoria, pois a maioria dos professores são executivos em atividade que também lecionam”, relata.

Dinâmica das aulas
Para Carnier um dos diferenciais é a dinâmica das aulas, sempre atualizadas com o que acontece no mercado, caso das disciplinas Relacionamento e Fidelização para a Geração Y, Adultescência, Fifties e 4a Idade. “São temas novos. Como lidar com a geração Y, que não tem fidelização por marca nenhuma e quer sempre novidades, ou com o segmento dos adultescentes, que são adultos que conservam hábitos de juventude?”, desafia o professor.

“Os cursos são acessíveis e interessantes também para quem esta começando, pois esses alunos acabam estudando com gente que já atua nessas áreas. É comum ter um aluno que sabe tanto ou mais que o professor sobre determinado assunto. Como são aulas com muito debate, muito trabalho em grupo, o aprendizado é riquíssimo. Eu aprendo mais do que ensino”, diz Carnier, ressaltando o ineditismo de alguns programas, como o de Trade Marketing e Key Accounts.

Nesse curso, os estudantes aprendem a repensar o relacionamento entre a indústria produtora e seus canais de distribuição. “Esse curso existe há apenas três anos e já recebemos pessoas bem graúdas, como diretores e gerentes de empresas importantes – todas interessados em aprender mais sobre o conceito de Trade Marketing.”