Home > Acontece > Acontece no Mercado > É hora de mudar de emprego?

É hora de mudar de emprego?

Em momentos de crises, os profissionais precisam de mais cautela

por Heloisa Valente

Se você está insatisfeito com seu atual emprego e chegou ao nível máximo de estresse com ele, reavalie a possibilidade de trocar de trabalho. E essa avaliação deve ser feita pelo lado positivo de continuar no seu atual posto. Quem orienta é Mauricio Sampaio, presidente do IMS Coaching de Carreira. Para ele, em meio à crise, não é hora de mudar de emprego. “Corre-se o risco do profissional ficar paralisado no novo ambiente de trabalho, já que boa parte das empresas está se reestruturando para enfrentar esse período de incertezas”, afirma.

Sampaio diz que o momento é de cautela e sugere que os profissionais sejam mais conservadores e busquem soluções para a melhora da satisfação com o trabalho internamente em suas companhias. “Claro que não é possível viver insatisfeito, por isso, uma autoavaliação da carreira se faz necessária. Saber gerenciar momentos de crise e colocar isso à disposição da empresa pode ser decisivo para tornar o dia a dia mais interessante e motivador”, explica.

O lado corporativo, diz ele, espera exatamente isso dos seus colaboradores: engajamento. No entanto, se mesmo assim o ambiente não estiver sendo atraente, pode mesmo ser hora de mudar. E com a crise, o que fazer? O coach diz que bem comum tem sido, a partir da reavaliação da carreira, o empreendedorismo.  “Empreender é um bom caminho, mas pesquisar em detalhes os setores onde se pretende atuar é fundamental antes de arriscar”, conta.

Novos caminhos

Ele avalia que os segmentos de saúde, tecnologia da informação e de marketing são áreas que mesmo com a crise tem grande demanda por profissionais.  “As redes sociais, por exemplo, despontam como uma interface importante para qualquer empresa no relacionamento com seus clientes e quem tem expertise no assunto pode se dar bem”, prevê.

Na opinião dele, crise também é oportunidade para que profissionais se destaquem dentro de suas áreas de atuação. “Descobrir a “dor” das empresas, seja em um trabalho interno ou como prestador de serviço é essencial. Entendendo a dor (aquilo de mais importante que a empresa precisa melhorar/criar) é o primeiro passo para conquistar o seu espaço. A partir daí, é hora de colocar em prática competências e habilidades em prol do objetivo comum”.

Um ponto importante antes de tomar a decisão de trocar de emprego é analisar muito bem possíveis propostas de trabalho. “Para quem está fora do mercado tentando uma recolocação oportunidades são sempre bem-vindas. No entanto, para quem já está trabalhando, novas ofertas tem que ser muito bem estudadas, principalmente em período de crise”, destaca.

Por isso, ressalta Sampaio, trocar informações com as pessoas que trabalham dentro das empresas para a qual se está pleiteando um cargo pode ser uma chave importante que determine sucesso ou não no novo ambiente corporativo. “Os atuais colaboradores podem dar uma boa ideia da situação atual da empresa, confirmando ou não suas reais possibilidades de crescimento”, conclui.