Home > Acontece > Acontece no Mercado > Ao sair do emprego, deixe a porta aberta

Ao sair do emprego, deixe a porta aberta

Veja como você pode se despedir sem prejudicar sua imagem e mantendo bons contatos

por Flavia Pegorin

Ah, tudo bem, ninguém pode negar aquela sensação de alívio e alegria por sair do emprego que já não queria mais. Imaginar o novo trabalho, os desafios pela frente e o lindo horizonte profissional é mesmo uma delícia – mas não é por isso que se deve apenas bater a porta do antigo trabalho atrás de si, dar uma bela banana para os ex-chefes e colegas e atear fogo no crachá.

Em um artigo recente, a especialista Leslie Moser, da Harvard Business School, explicou que existem algumas coisas que todo funcionário realmente deve fazer para garantir uma transição suave entre empregos – saindo de um escritório bem e chegando a outro sem fantasmas o perseguindo. Menos de meia dúzia de coisas, na verdade, atitudes simples que muitos se esquecem de tomar, mas que são bem mais importantes do que empacotar seus porta-retratos e a caneca de café. Veja a seguir como seguir em frente de modo organizado.

Como sair do emprego sem fechar portas

1. Faça um plano de transição por escrito

Planejamento pode ser aquilo que soa bastante chato para muita gente (ainda mais um planejamento de saída, não o emocionante planejamento de chegada). Mas montar um plano de transição ao deixar um emprego é crucial para certificar-se de que você é capaz de fazer tudo o que deve antes de ir embora de vez. Não precisa ser nada muito elaborado e montado em Power Point com imagens e música de fundo; mas é  importante mesmo fazer uma lista que inclua pelo menos o básico: quem será o responsável pelos seus projetos em andamento, as tarefas que seriam feitas adiante, o status de cada item. Acrescente datas, outras pessoas envolvidas. Assim ficará mais fácil visualizar o que você ainda precisa fazer antes de se retirar, seu chefe realmente vai agradecer pela iniciativa e você deixa o posto com uma ótima fama.

2. Arquive o quanto puder

Quando a maioria das pessoas deixa uma empresa perde o acesso a tudo relacionado com o trabalho: email, documentos, servidores, materiais utilizado e muito mais. Então, certifique-se de arquivar tudo o que é importante para você. É possível usar uma conta no Dropbox ou sistema semelhante e salvar o que for do seu interesse ter acesso, como exemplos de projetos que serão úteis no novo trabalho (desde que não seja nada confidencial, claro) ou que podem ser relevantes para mostrar como portfólio do seu trabalho. Tire um tempo para encaminhar mensagens de email que sejam importantes manter (mesmo que isso leve meio dia) e copie documentos como suas avaliações de desempenho. Também é um bom momento para olhar para o operacional, passando o bastão para alguém que precise de acesso a pastas com senha e coisas assim.

3. Peça uma entrevista de saída

Mesmo que sua empresa não tenha como norma fazer isso, é sempre uma ótima ideia ter uma conversa com seu gerente pouco antes da sua partida. Não é que seja preciso gastar duas horas de blá blá blá sobre tudo o que você sempre odiou naquele escritório com ar-condicionado em excesso – é quase o oposto, na verdade. Uma entrevista de saída é uma boa oportunidade para dar à gerência algum feedback (de forma construtiva) e também uma boa oportunidade de ouvir algum comentário que seu chefe tenha a fazer sobre você e seu trabalho. Se ele ficar meio reticente, tome a iniciativa e peça, por exemplo, para ele dizer seu “top 3 em pontos positivos e áreas a melhorar”. Isso vai otimizar seu desenvolvimento profissional e pode deixar a porta aberta para o futuro.

4. Mantenha contato

Não se esqueça de pegar contatos das pessoas que você julgar interessantes – e de manter o vínculo depois que você sair do escritório. Colegas que já são bons amigos costumam permanecer na agenda, mas também vale falar da sua saída para pessoas que são um pouco mais distantes mas mostram ter boas ideias e atitudes e podem ser amigos no futuro.

5. Planeje umas férias!

Sejamos francos, todo mundo merece uma folga – ainda mais quem está para mudar de emprego e, com isso, mudar boa parte da vida. Muitos não dão importância para isso ou acham que reservar um espaço “entre empregos” para colocar os pés para cima é perda de tempo e “pega mal”. Não pega. Você pode até não ser capaz de fazer uma grande viagem por razões financeiras ou logísticas, mas realmente deveria pensar sobre pelo menos alguns dias destinados a não fazer nada, só relaxar, reavaliar seus pensamentos, se preparar para a nova fase. É bom – e será útil para sair de um local com calma e chegar ao outro ainda melhor.

Cadastre seu currículo no VAGAS.com.br e aproveite inúmeras oportunidades de emprego. Se você já tem um cadastro, atualize-o aqui.