Home > Acontece > Acontece no Mercado > Amigo secreto e micos públicos

Amigo secreto e micos públicos

Por Fernanda Bottoni

Fala a verdade… quem nunca passou por uma saia justa na hora do amigo secreto?  Tirou aquele colega chato, um desafeto, um chefe enjoado ou coisa do estilo? Ou recebeu um presente “nada a ver”, daqueles que você não sabe se ri ou se chora (de emoção)! O fato é que depois de certo tempo essas histórias viram uma farra, uma piada boa entre os amigos, aqueles não secretos. Mas na hora do mico, a gente quer mesmo sumir com a capa do Harry Potter.

Para não fugir à tradição, selecionamos algumas histórias memoráveis de amigo secreto corporativo. Divirta-se com elas – e, claro, aproveite para aprender a não cometer os mesmos erros.

O presente indesejado

Sabe aquele amigo secreto em que os participantes podem “roubar” os presentes uns dos outros? Sim, sim, ele costuma ser bem mais divertido do que o tradicional, mas também tem muito mais chances de ficar na memória de todos, especialmente pelas gafes. Uma vez, por exemplo, uma amante da culinária resolveu caprichar e foi à festa com um azeite embrulhado para presente. Ninguém mais entendia muito de cozinha, então seu capricho acabou desprezado por todos até cair definitivamente nas mãos do “felizardo” que morreu com ele. “Foi há mais de uma década e até hoje ele ouve piadinhas sobre o assunto”, revela uma amiga (secreta). Detalhe: o presente era um azeite trufado, caríssimo, bem acima da média de preço estipulada na brincadeira. Duplamente mico – tanto para quem gastou mais do que devia quanto para quem foi presenteado e não entendeu o presente…

O amigo esquecido

Já ouviu alguém dizer para você não perder o papelzinho com o nome do seu amigo secreto? Pois é, esse cuidado tem dupla utilidade: ninguém descobre quem você tirou e nem você esquece quem deve presentear. Não foi o que aconteceu com o amigo secreto da Lucia, que contou essa história pra gente. “Ele esqueceu quem tinha tirado de amigo secreto e esse ser era eu”, conta ela, chateada até hoje. Quando terminou a troca de presentes, e ela sobrou, claro, o amigo da onça entregou a ela um livro de ficção científica. “Não gosto do gênero e pedi que ele trocasse”, conta ela, garantindo que nunca faria isso numa situação normal. “Eu fingiria numa boa, mas com a raiva que fiquei, não dava…”. No dia seguinte, o colega chegou ao trabalho com um outro livro e um lindo vaso de flores amarelas. “Daí eu perdoei, né?”. Mas não esqueceu jamais!

 O nome trocado

As maiores gafes de amigo secreto normalmente estão relacionadas exatamente ao amigo sorteado na brincadeira. Uma vez, uma colega não satisfeita com o nome que encontrou escrito no papelzinho, não fez cerimônia e disse para todos “Ai, eu me tirei, posso trocar?”. Claro que deixaram. Só que, ali com ela, estavam mais duas pessoas, entre elas, a chefe. E justamente a chefe tinha tirado o nome da colega insatisfeita. Resultado: na hora ela percebeu que a pessoa estava mentindo. Ficou bem feio. “Mas o mico não parou por aí”, conta alguém que presenciou o ocorrido. “Na hora da entrega dos presentes, quando a chefe anunciou sua amiga secreta, obviamente a colega lembrou da cena e percebeu que a chefia tinha sacado tudo…”. Quéim, quéim, quéim… Essa nunca mais vai pedir para trocar nada.