Home > Acontece > Acontece no Mercado > Administração: novas áreas e novas demandas

Administração: novas áreas e novas demandas

Mercado busca profissionais dispostos a mudanças e também dinâmicos

por Fernanda Bottoni

O mercado de trabalho em administração é imenso já que essa é  uma área generalista. Segundo Luciana Yeung, coordenadora acadêmica dos cursos de Graduação do Insper, um administrador pode trabalhar tanto numa empresa individual quanto numa multinacional, numa empresa do mercado financeiro, numa montadora ou numa empresa de serviços. Confira a seguir as principais tendências dessa área:

1 – O mercado de trabalho acompanha a economia, que tem sido bastante dinâmica.

2 – A área de administração já é bem antiga, mas, dentro dela, há sub-áreas bem mais novas, como sustentabilidade e gestão internacional, que vêm ganhando peso nas empresas. Nos últimos tempos, também vêm conquistando espaço áreas bem específicas como a esportiva, a hoteleira e os mercados de luxo.

3 – Aliás, mesmo as áreas mais tradicionais da administração vêm apresentando inovações. “Por exemplo, em marketing agora temos foco em novos consumidores, mídias digitais e estatística para traçar perfil do consumidor”, diz Luciana. Em recursos humanos, a novidade é a gestão de empresas multinacionais e multiculturais. “Há várias frentes de inovação e tendência que vêm acompanhando o desenvolvimento da tecnologia e a dinâmica dos mercados”, afirma.

4 – Os profissionais de administração cada vez mais devem ter forte capacidade analítica – de observação, síntese e interpretação de dados – com habilidade de resolução de problemas. “No fim das contas, ele e um ‘resolvedor de problemas’ porque onde quer que esteja, independentemente do tipo de empresa e da função que assumir, ele vai resolver problemas”, diz ela.

5 – Para isso, um bom administrador também deve saber usar instrumentais quantitativos (estatística, matemática etc.) “Isso não é novo, mas, infelizmente, até um passado não muito longínquo, esse profissional com forte capacidade analítica era sempre um engenheiro”, diz. Segundo a coordenadora, atualmente os administradores já disputam espaço com os colegas que vêm da engenharia e já há escolas que preparam seus alunos com excelente formação analítica.

6 – Outra exigência nesse mercado é a capacidade de desenvolver relações interpessoais. “As capacidades de liderar, se relacionar, agregar equipes e se comunicar, que hoje são importantíssimas, não eram tão valorizadas no passado”, diz ela. A tendência é, sim, que elas continuem se valorizando.

7 – Ou seja, segundo a coordenadora, o profissional de ouro desse mercado é o que vem completo e tem tanto a capacidade analítica para resolução de problemas quanto e capacidade para desenvolver relações interpessoais e liderar.

8 – Além disso, por conta da rapidez com que as mudanças estão ocorrendo, o mercado também busca profissionais com “cabeça aberta”, dispostos a mudanças, não conservadores e que sejam dinâmicos. “Isso é mais um traço de personalidade do que ensinado em escolas, mas tende a ser valorizado.”